domingo, 1 de janeiro de 2012

O Esquerda Republicana

Fui um dos últimos a embarcar no ER (Esquerda Republicana), há mais de um ano e picos. Depois de outras experiências bloguísticas, devo dizer que me sinto especialmente bem neste blogue criado pelo Ricardo Alves. Dizer que me sinto bem, nao é sinónimo de dizer que me sinto confortável. As minhas costelas europeísta e ambientalista desencaixam frequentemente no puzzle do ER. E nos bastidores a malta pega-se e pega-se bem. Mas mesmo nessas pegas eu aprecio algo que depois também transparece no palco principal. É um sentido crítico muito frontal, nem sempre fácil de digerir, mas que é do mais salutar exercício intelectual. Também gosto da forma como se evita a fácil tentacao da fulanização e as cóleras histéricas tão amigas dos contadores de cliques. O Esquerda Republicana com este perfil nunca pode ser líder de audiências, mas esse prémio deixamos para o Quim Barreiros e o Tony Carreira.

4 comentários :

Roethia Secunda Roetia Prima disse...

Todos os que jogam na roleta russa contam os cliques
Tal como os velhos contam os anos e os personificam (ou fulanizam como ocê diz...eu cá nem fulas nem futa-fulas pois os balantas tão na mó de cima qualquer dia destes e os fulas deixam de fulanizar a costa da caparica e o vale de chelas...
Tirando isso um clique não corresponde a uma leitura

assim como uma esquerda que se diz pubicana à romana
sofre geralmente de saturnismo político mercê do cretinismo anforizado que bebe
como se fosse da mais pura das ideológicas colheitas a martelo

2011 era belo mas foice...
2012 será belo daqui a uns anos
os anos são sempre maus quando estão no presente

Roethia Secunda Roetia Prima disse...

E o Quim Barreiros foi tocador de muitas bandas de prestígio nos anos 70...aí era um grande músico

ódespois de repente azedou

é a mania das élites desprezarem o povo que cavalgam...sejam taxistas de esquerda ou da direita

dizem mal dos que os conduzem em táxis e limo-assininas mas asquecem-se de pagar as taxas que os sustentam

Ricardo Alves disse...

Ainda bem que te sentes bem, Rui. ;)

Acertaste em algumas coisas importantes para mim: o mais importante é ser capaz de manter o espírito crítico, com tolerância mas com frontalidade, o que implica capacidade de encaixe e disposição para discutir ideias e não pessoas...

LOUVA A GREVE PERMANENTE EM DEUS disse...

o mais importante é ser capaz de manter o espírito crítico,mas o problema é qué preciso tê-lo ou tentar desenvolvê-lo primeiro

só o carácter maçon é que é inato...

para se ser humano e racional é só persistir e espremer a mioleira de quando em vez