quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

A CGTP no seu labirinto

Segundo declarações de João Proença à Antena 1 - reproduzidas pelo Público - houve vários dirigentes comunistas de topo da CGTP que o incentivaram a permanecer nas negociações. Sendo que dificilmente o acordo poderia ter sido pior para os trabalhadores caso a CGTP não tivesse abandonado a concertação social, é difícil perceber como se pode achar que se ajuda os trabalhadores batendo com a porta reunião atrás de reunião, sem excepção. Aparentemente, há muita gente na CGTP a concordar comigo.
É um bom sinal e um mea culpa dos dirigentes, que talvez augure algo de bom para a renovação da direcção que se aproxima.

4 comentários :

  1. Entäo além de traidor confessou-se facilmente influenciável. Ui. Um líder nato.

    A UGT no seu päntano, isso sim.

    Vocês acreditam piamente nas palavras de Joäo "Schettino" Proença? Cá para mim é arranjar desculpas para justificar o injustificável!

    Até ler/ouvir as provas, sou como o mítico S. Tomé.

    ResponderEliminar
  2. Nem mais, Maquiavel. O João Proença só está a tentar não perder completamente a cara.

    ResponderEliminar
  3. O Miguel Carvalho deve ser associado de algum sindicato da CGTP, já que está a tentar influenciar a escolha dos delegados ao Congresso. Já agora, a CGTP não bate com a porta invariavelmente. Há pouco tempo até assinou um acordo que visava o aumento gradual do salário mínimo para 500 euros. Proposta que o PS deixou pelo caminho e que o PSD não pensa recuperar.

    ResponderEliminar
  4. http://noticias.sapo.pt/nacional/artigo/cgtp-pretende-levar-joao-proenca-a-tribunal_13651006.html

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.