segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

O CDS é um partido monárquico e deveria assumi-lo

O CDS propôs hoje que o 1 de Dezembro continue a ser celebrado, agora mais institucionalmente, até envolvendo «as escolas públicas, as missões diplomáticas de Portugal no estrangeiro (...) os governos regionais e autarquias locais». A iniciativa só surpreenderá os mais distraídos ou ingénuos, que acreditarão que o fim do 5 de Outubro é uma medida meramente economicista. Não. O CDS é dirigido por um membro da Causa Real, outro dos seus ministros é dirigente da dita, e há muitas personalidades do CDS monárquicas, como ainda Lobo Xavier ou Telmo Correia. Fora os monárquicos explícitos, há católicos políticos (que também detestarão o 5 de Outubro por razões ligeiramente diferentes). Seria mais honesto que o CDS se assumisse como partido monárquico e assim se apresentasse a eleições.