segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Cinco coisas que nunca agradecemos como devemos

Quando passam noventa anos sobre a sua fundação, convém recordar cinco coisas que não agradecemos como devemos à União Soviética (como se faz aqui): direitos da mulher; legislação laboral; a vitória na Segunda Guerra Mundial; o caminho anticolonial e o progresso científico. Não se devem exclusivamente à URSS, mas esta para eles contribuiu muito.

9 comentários :

  1. Estou de acordo quanto às três últimas, mas tenho dúvidas quanto à primeira. E a segunda, nem pensar: é que direitos laborais numa ditadura totalitária... pois. Só com sindicatos domesticadíssimos e sem direito à greve.

    ResponderEliminar
  2. Não gosto desta linha de argumentação. A URSS teve coisas boas? Sim. Mas o Estado Novo também. Vamos também agradecer a Salazar?

    ResponderEliminar
  3. direitos da mulher.....estaline proibiu o aborto no fim da 2ªWWar devido ao déficit demográfico...mesmo em 1990 a situação da mulher na Rússia não era assim tão boa..mas enfim
    (basta ver o nº de mulheres no Politburo e afins chefes de comités (1/5...e mesmo assi


    legislação laboral;Stakonovistas nos anos 30 a 60 ...com 14 horas por dia
    em 1990 turnos de 10 horas nas minas do Donetz

    a vitória na Segunda Guerra Mundial;Parcial sem os bombardeamentos que mataram milhões de operários e destruiram o aparelho produtivo alemão

    e sem os 2 milhões mortos ou aprisionados pelos americanos
    e outro milhão pelos anglo-francius

    as 4 milhões de baixas da frente leste não teriam sido decisivas

    até porque até 1945 os russos foram sangrados em mais de 10 milhões (alguns dizem 15 civis e militares) e 2 milhões de amputados

    o caminho anticolonial...pois eram cá de um anticolonialismo que criaram colonatos em África desde Siade Barre ao Mengistu...Hailé Mariam

    No caminho do progesso

    Pioneiros

    No caminho do futuro

    Pioneiros

    Construiremos o Mundo

    Pioneiros

    socialista socialista

    (e nem sequer rima....)

    pôr putos de 10 anos a marchar com botas de borracha com 40º
    é sucia liste...à moda de sokras
    inducação...


    e o progresso científico.

    ResponderEliminar
  4. obrigá-los a marchar à chapada

    e comer as pretinhas dos 12 aos 16 em nome do socialismo à moda das tropas da ONU é anti-colonialismo?

    não sabia...

    ResponderEliminar
  5. o Kamarada tem razão sem URSS onde é que os alemães tinham gás?

    e sem o pitroil que lhes venderam de 39 em 41...comé queles tinham combustível para chegar a Moscovo

    é que a hidrogenação do carvão dá gasoil de muito má qualidade...e fica caru...

    aqueles fuzilamentos em massa de 1919 a 1921 da marinharia bolchevique revoltada

    tamém deu ideias pró futuro
    uns gajos porreiros os ursus....

    ResponderEliminar
  6. O que teve de bom o Estado Novo, para além do facto de ter caído de podre?

    ResponderEliminar
  7. Maquiavel disse...

    O que teve de bom o Estado Novo,

    tirando o equilíbrio orçamental até 72 à custa dum baixo nível de vida

    não teve grande coisa de bom

    organizou o desorganizado corporativismo que nos domina há séculos

    acumulou montanhas de ouro e prata sujas de sangue

    matou dezenas de parolos e meteu milhares na cadeia

    mandou 11 mil darem os ossos por áfrica

    e mandou o dr soares para o exílio em avião em 1ªclasse com charuto e cognac

    e meio-milhão de soldadesca não doutourada em barcos a meter água
    com bolachas e rações americanas cheias de gordura com esparguete e molho de tomate a acompanhar

    e caras de bacalhau com sangacho de atum...
    se tivesse doutourado a soldadesca
    tinham ido todos de avião

    mas só tinham a 4ªclasse

    ResponderEliminar
  8. Parabéns pela publicação do estrato do artigo, que já li na íntegra.
    A generalidade dos comentários, só podem ser compreendidos, se admitirmos a ignorância dos seus autores. Uma coisa foi o que inicialmente se fez. Outra, como acabou o regime/sistema. Relevante, foi a influência que provocou nos regimes capitalistas! Não fora o medo do "comunismo", o Estado Social Europeu nunca teria acontecido. Certamente, o mundo do trabalho nunca teria tido direitos sociais, laborais e económicos, se não fosse o medo do "contágio". Para os que ainda tem dúvidas, meditem apenas no que tem acontecido na última década, particularmente, os dois últimos anos. Um a um, vão sendo retirados todos os direitos "adquiridos" a quem trabalha, quer na Europa quer na América! Porquê? ...

    ResponderEliminar
  9. «Não fora o medo do "comunismo", o Estado Social Europeu nunca teria acontecido.»

    Com essa também concordo.

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.