terça-feira, 4 de maio de 2010

Mais papistas do que o Papa

O papel do Estado não é fechar igrejas, é abrir escolas. E o papel das igrejas deveria ser abrir as suas portas, e não fechar as das escolas. Não faz portanto qualquer sentido que o Estado encerre todas as escolas públicas do país no próximo dia 13 de Maio, e não admira que as associações de pais critiquem a decisão. Irónico, mas significativo, é que a maioria das escolas privadas manterão as suas portas abertas.

É caso para dizer que o Governo é mais papista do que o Papa.

6 comentários :

MFerrer disse...

Um País, como o pobre Portugal das caravelas e da Inquisição que andou pelo Universo a espalhar a fé dos padres e a pilhagem dos senhores, era bom que caísse em si e se nevergonhase destas fitas ultramontanas e indignas da inteligência humana!
Arre que é preciso mandar regressar o Marquês!
Precisamos tanto de visitas papais como de sarna!

António Parente disse...

Aproximam-se dias de grande sofrimento mental e dor psicológica para a nossa estimada esquerda republicana. Coragem, o mês de Maio passa depressa (embora para a E.R. pareça uma eternidade).

Ricardo Alves disse...

António, António, mal sabe...

jose disse...

o papa TRARÁ UMa visibilidade ao país
não temos já euro 2004 em perspectiva

temos um papa moralmente debilitado

que vem beber nas multidões um reforço para a sua legitimidade

axo-os como disse um outro copyright
"sectários são todos os
pertencem a um segmento
se se intitulam de esquerda e anticlericais
excluem-se das restantes tendências e seitas
fanáticos são os apoiantes de um fanum(templo)
hoje dir-se-ia de um cli(u)be ou organização" ora acho que isto é sintomático há todo um segmento de pessoas
"que quer fazer uma directa com maria porque são jovens e ser jovem é não ter..." fronteiras disse o jovem eu diria não ter senso mas quem sou eu para negar a pequena fé dos que vão no norte desde os ex-mineiros de Campo de Jales que beijavam um retrato encardido para protecção
não têm eles direito de ir a pé ver o papi
embidia diria eu ...mas também sectário sou...

Anónimo disse...

O governo, tanto quanto percebo, não encerrará as escolas. Apenas deu tolerância de ponto, o que quer dizer que os funcionários (docentes e não docentes) das escolas podem, se o quiserem, faltar ao trabalho. As escolas encerrarão se e só se um número significativo de funcionários disser que vai faltar ao trabalho. Se, apesar da tolerância de ponto, um número suficiente de funcionários decidir vir trabalhar, então a escola não encerrará.

Luís Lavoura

Ricardo Alves disse...

Luís Lavoura,
a informação que está a passar é que é para encerrar as escolas públicas. Formalmente, pode ser voluntário, mas, tanto quanto sei, é prerrogativa dos Conselhos Executivos das escolas mandar encerrar ou não. O que parece estar a acontecer sistematicamente.