quinta-feira, 6 de maio de 2010

Há mínimos

As perguntas dos jornalistas até podem ter sido «persecutórias» e «psicologicamente violentas». Mas nada desculpa que um cidadão, para mais deputado, «se aposse» (curioso eufemismo...) de propriedade alheia. Ricardo Rodrigues deveria renunciar ao mandato de deputado.

2 comentários :

  1. se pode "saltar a tampa" a qualquer um, o mínimo aqui seria que renunciasse à vice-presidência da bancada socialista...

    ResponderEliminar
  2. Eu não concordo.

    Suponha que na entrevista o deputado tinha dito qualquer coisa de que depois se arrependia duramente. Por exemplo, tinha caluniado gravemente alguém. Suponha que o deputado queria garantir que a entrevista não era mesmo publicada.

    Ora bem, nós sabemos, pelo recente caso Rui Pedro Soares versus Jornal Sol, que os jornalistas, se lhes der na telha, publicam algo, mesmo que recebam uma ordem do tribunal em contrário.

    Portanto, de facto, a única forma que o deputado teria de garantir o seu direito à não-publicação da entrevista, seria roubar as cassetes. Porque o deputado já sabe, porque ainda há uns meses isso foi visto, que os jornalistas em Portugal desrespeitam a seu bel-prazer as ordens da justiça.

    Num país no qual, como em Portugal, a justiça não é respeitada, a única forma que um cidadão tem de fazer valer os seus direitos é por intermédio da ação direta.

    Luís Lavoura

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.