quarta-feira, 5 de maio de 2010

Novas oportunidades de trabalho (precário)

Rendo-me: a visita do Papa é boa para a economia. Há tolerâncias de ponto, escolas fechadas, hospitais com serviços mínimos, encerramento do trânsito durante horas em Lisboa e no Porto, fecho da linha de metropolitano e até «interdição do espaço aéreo» (sic), um dispositivo de segurança absurdo e desproporcionado que não aconteceria numa visita do Obama, mas, afinal, há novas oportunidades de trabalho: a ICAR procura «Apoiantes (M/F)» do Papa através de anúncio, e paga-lhes à hora para estarem na missa da Avenida dos Aliados, de t-shirt e bandeirinha na mão.

Parece que afinal não basta fechar os serviços públicos, essenciais ou não, desarranjar o sistema de transportes, fazer ameaças e montar uma operação mediática digna de um Estado totalitário. Alguma coisa falhou nisto tudo (talvez a liberdade individual), e a ICAR vê-se obrigada a pagar às pessoas para irem à missa. Delicioso.

31 comentários :

JDC disse...

Desculpem lá, mas isto começa a fazer-me confusão. Têm todo o direito e até concordo com a esmagadora maioria das coisas aqui ditas sobre a visita do Papa. Mas com o que se passa na Grécia, a vossa maior preocupação é a visita do Papa (os últimos 4 posts)? Bem sei que publicam o que vos der na telha, até podiam postar sobre culinária, mas já soa a qualquer coisa recalcada...
Já parecem o Diário Ateísta, que só fala das falhas da ICAR, do que a ICAR diz, o que a ICAR faz, o que a ICAR deveria fazer, o que a ICAR não faz... Por lá, falar do ateísmo propriamente dita ou da problemática do Homem com o Sentido, isso é que já não. O importante é criticar a ICAR. A isto eu chamo argumentação negativa que (quase) nada acrescenta...

Mas voltando à vaca fria: morreram 3 pessoas num banco incendiado. Banco esse sem licenciamento por parte dos bombeiros (o que até nem é incomum na Grécia) e sem quaisquer sistemas de protecção contra incêndio que não extintores manuais. O Carlos Vidal já martiriza os mortos, desvalorizando a tragédia humana e evocando sacrifícios do passado em nome das conquistas sociais (menos os que morrem às mãos dos conquistadores...).
Estou um bocado cansado desta esquerda!

jose disse...

este tal de jcd tem uns laivinhos de razão, vou ver como está a direita -apagaram um comentário
era pouco apropriado?
parecia mais um apelo...enfim o blog
é vosso....na medida em que alguém possui algo , tudo é transitório
há 10 minutos atrás tinha uns 80% de dente a mais

JDC disse...

Atenção, não me confundir com o jcd do Blasfémias... Eu sou j-d-c

Ricardo Alves disse...

JDC,
espero que proteste contra a cobertura total e acrítica que os media vão fazer. Acho que vai ler o ER e o DA todos os dias para desenjoar dos media que vão cantar hinos ao Papa...

Anónimo disse...

Rapazes, não quero ser desmancha prazeres, mas as notícias não são boas:

http://www.bentoxviportugal.pt/imprensa_ver.asp?noticiaid=553

Que chatice, e logo vocês que são racionais e com pensamento crítico e tal. Como é acreditaram logo à primeira, sem esperarem pela confirmação?

O melhor é admitirem o vosso problema de uma vez por todas. Até existem pastilhas no mercado para esse sintoma...

Kompensianamente, cordiais cumprimentos.

António Parente disse...

Espera-se uma correcção, em forma de post, dos rapazes da esquerda republicana. Sei que o farão, são gente boa e amante da verdade.

Ricardo Alves disse...

Jairo,
os anúncios são genuínos, e já foi contactada uma pessoa recrutada pela empresa.

Portanto, é real.

Quanto às negações do real, há quem ganhe a vida a fazer isso...

Ricardo Alves disse...

António,
o comentário anterior serve para si também.

Anónimo disse...

A ADDECO empresa de trabalho temporário está recrutar a 3,5 euros á hora com direito a t-shirt e a bandeira ( mas a bandeira tem de ser devolvida), para o visita do sr Ratzinger

Contrata para Lisboa e para o Porto.

Não basta a organização dizer que não não tem nada a ver com isso.

È necessario que a organização obrigue a Addeco, a fazer um desmentido , coisa que até agora não sucedeu.

O sr Carlos Vidal tem muito pouco a ver com a esquerda é um militante dos mais sectarios do PCP, que é capaz de defender Farc, Cuba, Coreia do Norte, mas o que é que isso tem a ver com esquerda.

António Parente disse...

Ricardo,

Não foi a comissão organizadora que pediu o recrutamento. Se é uma acção de apoio da adecco então a Igreja Católica não tem nada a ver com isso como é insinuado no seu post. Logo, a correcção torna-se necessário.

Espera-se a devida correcção. Faço um apelo à ética republicana.

Ricardo Alves disse...

António,
a comissão organizadora não é toda a ICAR. O recrutamento pode ter sido pedido por uma paróquia, um movimento católico, até uma diocese (ou duas, já que há anúncios não apenas para o Porto, como eu inferia no post, mas também para Lisboa).

Qual é a sua explicação para os anúncios? Serão uma cabala da temível conspiração jacobino-ateísta? ;)

António Parente disse...

Por acaso já me passou essa ideia pela cabeça (a conspiração jacobina-ateísta) :-). Afinal são apenas 1 750 euros de despesa.

Considero muito estranho o anúncio. Ontem não o comentei porque esperei pela reacção. Falta a identificação da entidade que pediu à addeco o recrutamento. Aguardemos. Se a esquerda republicana tiver errado espero pelo desmentido.

João Vasco disse...

«1 750 euros de despesa»

mais as tshirts e os anúncios, e a logística.


Mas realmente é uma conspiração que faz sentido: «Muah!ah!ah!ah!ah! O Papa nem sabe o que lhe espera!!! Vamos encontrar 100 pessoas que estejam dispostos a ir à missa por 17.5e, pagar-lhes, dar-lhes uma tshirt de apoio ao Papa e garantir que a missa tem pelo menos 100 assistentes, Muahahah!!! Se há coisa para a o qual o Papa não está preparado, são 100 pessoas com tshirts de apoio!»

António Parente disse...

Ai, João Vasco, não me desiluda. "Ironia", sabe o que é, não é? Precisa que lhe explique tudo?

João Vasco disse...

Sei o que é, sei.

Foi o que o Ricardo Alves fez quando sugeriu a conspiração ;)

António Parente disse...

Eu percebo o Ricardo Alves e penso que ele me percebe a mim, João Vasco. O João Vasco, fruto da sua guerrilha anti-criacionista e das suas viagens ao mundo das sereias e dos dragões, é que lê tudo literalmente. É preciso saber distinguir as cambiantes das mensagens.

Falando a sério:

1) O anúncio já desapareceu da página de emprego do Sapo;

2) A Adecco anuncia na página do Sapo como "Adecco recursos humanos" e o anúncio de ontem surgiu como "Adecco marketing services".

Aguardemos pelo desenvolvimento dos acontecimentos. Alguém vai ficar mal na fotografia. Continuo a esperar pela aplicação da ética republicana neste caso.

João Vasco disse...

«Continuo a esperar pela aplicação da ética republicana neste caso.»

Nesse caso ainda não percebeu a ironia do Ricardo...

Sabe, os Dragões também não é para levar à letra..

António Parente disse...

Não são, João Vasco?!| Olha que surpresa, eu estava convencido que o João Vasco acreditava neles!

António Parente disse...

A ironia do Ricardo? A ética republicana é uma ficção? Não me desiluda.

João Vasco disse...

A ironia era a maquiavélica conspiração...

António Parente disse...

Essa eu apanhei, João Vasco... Sabe que tenho um blogue novo? Agora é para levar a sério. Ainda estou a "aquecer" mas daqui a uns tempos aquilo vai dar brado. Apareça por lá, tenho 17 visitas e são todas minhas.

João Vasco disse...

Diga lá então o nome do blogue :)

JDC disse...

Ricardo Alves,

Garanto-lhe que não ligarei a TV nem a rádio durante a visita do Papa. Vai ser, de facto, enfadonho, exaustivo e, a certo nível, angustiante.

O ER continuarei a ler com todo o gosto, o DA é que só visitarei uma vez por mês para ver se começam a escrever coisas mais interessantes do que serem polícias da ICAR.

E já agora, o Carlos Vidal não deve ser voz única dentro do PCP. Tenho a certeza que muitos partilharão das suas ideias. E se o PCP não representa, pelo menos, parte do que a Esquerda é, então não sei o que é. Os bloquistas não podem ter a soberba de se acharem os únicos representantes dos ideiais marxistas-comunistas...

Anónimo disse...

Camarada Ricardo Alves, ninguém negou que os anúncios realmente foram feitos. A bem da verdade, convinha que acrescentasse uma nota " A comissão organizadora da visita,quem coordena estas questões. nega ter colocado qualquer anúncio".

É que para além dos anúncios terem sido colocados, também é verdade que os responsáveis pela organização dizem que não foram eles a colocar.

Mas gostei da sua táctica; insistir que os anúncios realmente existiram, como se alguém estivesse a negar isso.

Vamos só pensar um pouco neste enigma, não muito, não vá causar dores de cabeça a alguém:

O catolicismo motiva, todos os anos, imensa população, incluindo um mar de juventude, a caminhar à borla até Fátima, desde os mais distantes lugares do país.

Acha que era preciso pagar para encontrar alguns católicos que ficassem parados a assistir à passagem do Papa?

A questão da "boa aparência", não acha que era boa demais para si e os seus amigos? Então, a Igreja a entregar o ouro ao bandido, fazendo questão na "aparência", publicamente entrando em contradição com a sua doutrina e sujeitando-se aos ataques mais óbvios?

Epá, faz-me lembrar aquela tese de que Ratzinger tentou obstruir a Justiça escrevendo...cartas onde supostamente estaria bem explícito toda o suposto plano.

Ficam aquie estas questões, e aguardo por mais desenvolvimentos deste caso.

Espectadores disse...

Jairo,

Não vamos ficar sentados à espera. O caso vai morrer já amanhã, porque entretanto aparece outro.

Agora, a desculpa esfarrapada, a resposta que nos dão, é a de que estamos a defender uma tese de "cabala".

Mas não é preciso uma tese dessas. É preciso uma "cabala" para meter uma porcaria de um anúncio nuns sites?

O problema do autor do anúncio, como bem indicaste, é que ele foi ganancioso.

Aquela frase do "muito boa apresentação" é o gato com o rabo de fora. Se tivessem deixado cair o "muito", a coisa ainda talvez passasse. O "muito boa apresentação" é claramente a "impressão digital" de que isto é da autoria de um brincalhão.

Mas sejamos honestos: esta palhaçada, por sinal, é das mas mais divertidas palhaçadas anticatólicas dos últimos dias.

Agora: esperarmos que os acusadores retirem a acusação? Não... seria preciso humildade, e aquela marca clássica do espírito cristão: o sentido de humor suficiente para nos rirmos dos nossos passos em falso. Os ateus são muito sérios, e não se riem deles mesmos.

Abraço!

Ricardo Alves disse...

Bom, os factos são:

(i) foram divulgados anúncios em portais de emprego;

(ii) a comissão organizadora desmente ter recorrido a serviços de recrutamento.

A aparente contradição entre (i) e (ii) tem várias explicações possíveis.

1) Os anúncios são genuínos e não foram colocados pela comissão organizadora, mas sim por dioceses, movimentos religiosos ou paróquias. (É sabido que a concorrência é feroz entre movimentos católicos e paróquias nortenhas...)

2) Os anúncios não são genuínos, e foram colocados:

a) por malta que queria gozar com a ICAR;

b) por católicos que queriam deitar uma «casca de banana» aos ateus;

c) por alguém com outras intenções (lançar a confusão, fazer publicidade a empresas de recrutamento, outra).

Em qualquer dos casos, não deixa de ser interessante que este assunto tenha «picado» tanto os católicos. Parece que tocar no dogma da ICAR-campeã-nacional-do-voluntariado é pior do que tocar no dogma da «ressurreição» ou da «Santíssima Trindade»...

António Parente disse...

Ricardo Alves

A adecco já publicou um comunicado em que informou ter sido uma empresa de organização de eventos que pretende contratar pessoas para uma acção de promoção durante a visita do Papa. Nem disse qual era a empresa nem que tipo de acção. Se for verdade, nos dias da visita do Papa tudo ficará esclarecido.

Eu sei que o tema era demasiado saboroso e que a esquerda republicana não resistiu a pegar nele. Foi uma imprudência. Teorias da conspiração não levam a lado nenhum. Resta agora publicar em forma de post um mea culpa. Assim o exige a ética republicana. Não desiluda os seus leitores católicos e amigos dos católicos (o Jairo).

Nós não nos sentimos "picados", Ricardo. Era só esperar pelo estatelar da esquerda republicana. Eu no passado já me escaldei por análises apressadas e hoje reajo mais lentamente aos acontecimentos. Às vezes aquilo que parece não é.

Ricardo Alves disse...

António,
acho extremamente instrutivo o «sururu» que este post provocou na blogosfera mais católica. Nunca obtive este resultado quando escrevi sobre o dogma da «ressurreição» ou sobre a inseminação artificial no útero de Maria. Parece que o dogma mais importante é mesmo o da ICAR-campeã-nacional-do-voluntariado.

E não há dúvida de que estais nervosos. ;)

António Parente disse...

Ricardo

Não estamos nervosos. Achamos piada ao episódio. A Palmira e o Ludwig já corrigiram os posts que publicaram. Infelizmente a esquerda republicana não o fez.

Sobre os ditos dogmas falaremos um dia, sem problemas. Já comecei o meu novo blogue e dentro de algum tempo vou começar um capítulo (em forma de outro blogue) com textos sobre religião. Pessoais, sem que representem a posição oficial da Igreja Católica.

Ricardo Alves disse...

António,
neste momento a Adecco (ficou famosa) já confirmou que colocou efectivamente os anúncios, a pedido de uma «"empresa de organização de eventos" que "decidiu desenvolver uma acção de comunicação"». Ainda não sabemos que empresa é essa, quem a gere, e quais os seus objectivos.

Também não temos explicação para o facto de um dos recrutados ter declarado à comunicação social que «esta acção de apoio ao Papa no Porto procura minimizar os efeitos de possíveis manifestações "anti-Papa" durante a missa de Bento XVI na Avenida dos Aliados».

Há aqui várias coisas que não batem certo, mas até ao esclarecimento cabal da situação, parece-me que devemos reservar o nosso julgamento.

António Parente disse...

Caro Ricardo

Parabéns pela prudência. Devia tê-la usado antes de escrever o post. Os blogs têm este defeito: reagem quase instantaneamente aos acontecimentos. Eu achei o anúncio muito estranho. Pedir o curriculum vitae e boa apresentação para apoiar o Papa?! Nenhuma organização católica colocaria um anúncio deste tipo. Seria uma idiotice. Não é impossível mas é muito improvável.

Vamos aguardar pela próxima semana.