quarta-feira, 26 de maio de 2010

Uma boa razão para votar na Bélgica

4 comentários :

  1. Apesar de todos os esforços de França, as indústrias culturais em língua inglesa impuseram-se de forma evidente, aliás como o francês, e mesmo o português noutros tempos. Daí ser difícil perceber a 100% o que estes fundamentalistas têm para nos dizer... mas deu para entender que têm na agenda a islamização da Europa através da sharia, esse verdadeiro retrocesso civilizacional que se inspira nas leis mais abjectas de deus e dos seus profetas.
    Com este tipo de propaganda só conseguem semear ódio e fortalecer a extrema-direita.
    Ainda bem que na nossa Constituição temos inscrita a proibição destas agremiações fascistas, islâmicas ou não. Pelo menos aí e por uma vez, estivemos na vanguarda europeia! E só temos que nos orgulhar.
    Daí se impor um combate a todos os tipos de totalitarismos. De direita, de esquerda e de deus!

    ResponderEliminar
  2. Estes idiotas são perigosos: ignorantes, violentos, incapazes de sentirem empatia por nós. Vamos ter de lutar contra eles - com armas - num futuro próximo. E não vai ser bonito.

    ResponderEliminar
  3. Examinemos por instantes o argumento destes "arautos de do seu deus":o de a democracia não é necessária pq já existe uma lei divina que tudo regula.Nada mais falacioso:essa lei regula apenas uma parte das relações humanas em sociedade, de tal forma que algum legislador teria de suprir as lacunas dessa legislação.E esse legislador não eleito democraticamente,não estaria submetido ao verdicto popular, o que redundaria na prátaica numa tirania não admitid.E para terminar uma observação:a verdadeira razão que levou à proibição do véu integral tem, quanto a mim uma única finalidade: a de afastar dessas sociedades os elementos cujo fanatismo religioso é mais radical, o que não deixa de me parecer legítimo.Não sei é se a medida será suficiente.

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.