sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

França prova o próprio veneno

Só posso sorrir quando leio que Christian Noyer, o governador do banco central francês, diz que o Reino Unido é que deveria sofrer uma desclassificação pelas agências de rating, e não a França. Diz ele que o Reino Unido tem mais défice, mais dívida, mais inflação e menos crescimento que a França, e que por isso estaria numa situação pior.
Só mesmo umas cabeças iluminadas na França e Alemanha (Holanda, Finlândia e Passos Coelho também) é que ainda estão convencidas que os problemas da periferia da Zona Euro por esta altura se devem a essas luxúrias, e não à arquitectura do Euro, aos zigue-zagues do eixo Paris-Berlim, à austeridade conjunta, à inexistência de um emprestador de último recurso, etc. A França está prestes a provar o seu próprio veneno.