quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

E depois do empobrecimento?

Numa das célebres “Farpas”, Eça de Queirós imaginou um partido político que respondia a todas as questões com o pregão “Economias!”. Cento e quarenta anos depois, esse partido chama-se PSD/CDS. Excedendo a caricatura queirosiana, propõe, após décadas de promessas de prosperidade e enriquecimento e num malabarístico ovo de Colombo, a meta do empobrecimento nacional.

Na educação, na saúde, nos transportes, na comunicação social, na cultura ou na diplomacia, tudo – à excepção do reforço da vigilância e da repressão policial – é decidido invocando a palavra de ordem do empobrecimento. O que é muito pobre.

É pobre porque não chega como fundamento político. Se o governo quer dinheiro, podia taxar os bancos e não os reformados, vender submarinos e não monopólios naturais, rever os contratos com as parcerias público-privadas e não subir as taxas moderadoras, reduzir o pessoal da autonomia madeirense e não o dos municípios, terminar as aulas de Religião e Moral e não as de Formação Cívica. As opções feitas não decorrem da austeridade: são escolhas ideológicas.

A política do empobrecimento é também pobre porque omissa quanto ao pós-empobrecimento. O governo tem uma estratégia para o crescimento da economia? Em que sectores? A educação e a ciência serão prioridades? Nada sabemos. Depois do empobrecimento, Passos e Gaspar ficarão sem política.

2 comentários :

  1. Por partes eu o grande educador da classe que não obra te esclareço ó Alves dod Fayed

    É pobre porque não tem muito senso.

    Se o governo quer dinheiro, podia taxar os bancos mas os bancos são das coisas com menos lucros de momento e mais encargos (salários e juros de depósitos ) a pagar
    taxá-los (sangrá-los)nesta altura metia mais uns 30 mil bancários no desemprego (com azar 50 mil)
    daqui a 4 ou 5 anos certamente


    e não os reformados,(mas os reformados ó stronso representa uma das maiores despesas do estado
    (reduzir as pensões acima dos 5mil e aparar as que estão acima de 1000
    garantirá que os que ganham 200 as terão ainda mais uns anos)


    vender submarinos (ou caças F16 que a nossa militaria comprou ou os Leopard II (dos anos 70 (79) e 80 maravilha da técnica alemã
    kraussá-máffei-vé g mann a 1 milhão e tal cada uno mais 200 a 300 mil em munição e manutenção e 500 litros de gasoil aos 50)

    num dá porque a NATo e os americanos têm que autorizar e eles querem é vender os deles pró Paquistão nã querem ca gente venda os nossos (salvosseja teus)em segunda mão

    submarinos em 2ª mão talvez valham 200 milhões com sorte e com as chapas desalinhadas acho que a Coreia do Norte não os compra e o Irão tem melhores ruskis

    e não monopólios naturais...
    ó filhote a água vem toda dos espanhóis logo é anti-natural


    rever os contratos com as parcerias público-privadas só se as leis pudessem ser alteradas retroactivamente logo necessidade de revisão constitucional presumo

    e retroactividade tira muito a muitos (pur exemple reformados da TAP com 55 anos e 7500 a 10 mil euros (ô equivalente)de descontos para o SS nos últimos 20 anos )pur isso népia



    e não subir as taxas moderadoras,
    olha há hipocondríacos que vão por cá aquela palha e pelo menos um queu cunheçu bai deixar d'ir as 2 bezes por ano ...a 19,50 +extras mai vale ir ao do espírito santo

    como os ciganos fazem quando têm pressa
    (e dá pra filar algumas coisas no parque de estacionamento se for noite se for de dia é mai dificile


    reduzir o pessoal da autonomia madeirense e não o dos municípios,
    bom reduzir os quadros que enquadram 33% da população activa
    dá prái uns 3% dos activos madeirenses
    é muita malta e a venezuela tá má pra emigração


    terminar as aulas de Religião e Moral são 500 ou 600 profs a maior parte no quadro desde 1974 (ou substitutos destes porque na sua maioria têm entre 50 e 60 anos e geralmente muita baixa por achaques)e não as de Formação Cívica (geralmente é o director de turma que já tem horas de redução de horário por ser director de turma (ora 7, 8º 9º ano 300 mil putos (com os repetentes e afora os desistentes).
    dá 10 mil a 11 mil turmas logo

    11 mil horas de 45 minutos semanais vezes 52 (semanas por ano cagente mêmo em férias ou no desemprego agora ganha sempre)

    digamos 550 mil horas (a maior parte dos directores de turma sã pessoal do quadro logo)20 a 35 por
    hora

    10 a 17 milhões e meio de pôpança

    como dezia o ôtro é só fazeri as contas
    assi dão aulas de outras coisas e reduzem os contratados

    pur falar nisso o Dgrhe deixarã de contratar perto do natal pra sustituir ó pessoal que entra de baixa nesta altura para ir para curas nas Caraíbas ou Brasil e escapar aos últimos dias d'inferne

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.