terça-feira, 25 de outubro de 2011

Alguns números sobre a dívida pública

Alguns dos argumentos usados cá dentro e lá fora a propósito da crise do Euro, revelam um grande desconhecimento sobre os valores da dívida pública, por parte de quem aponta o dedo ao mau comportamento orçamental dos estados da periferia (PIIGS) como causa da crise. Basta uma vista de olhos rápida, para perceber que

1) Os PIIGS não estavam a acumular dívidas e dívidas.
2) Os PIIGS não estão a ser castigados por algo que tenham feito, já que a Irlanda e a Espanha tiveram comportamentos bem melhores que a Alemanha e a França - e Portugal um comportamento semelhante.
3) Os níveis da dívida pública dos PIIGS não estavam (antes da crise), nem estão (hoje) a níveis alarmantes, porque há muitos casos bem mais graves que não provocaram qualquer crise.


1. Valor da dívida
pública

Alguns números da dívida pública em % do PIB (fonte AMECO):

Bélgica 1993: 134,2%
Itália 1994: 121,8%
Japão 2006: 191,3%
Japão 2010: 223,1%
Alemanha 2010: 83,2%
Reino Unido 2010: 80,0%

Periferia do Euro antes da crise (2007):

Irlanda: 25%
Grécia: 105,4%
Espanha: 36,1%
Itália: 103,6%
Portugal: 68,3%


2. Evolução da dívida pública


Do início do €uro até ao início da crise
a) A Irlanda e a Espanha diminuiram consistentemente a dívida pública
b) A Grécia e a Itália tiveram um ligeiro decrescimento
c) Portugal teve um comportamento muito semelhante à França e à Alemanha (ligeira subida).




Nota: não estou a defender que houve um comportamento exemplar, nem a querer esquecer que já sabíamos os defeitos que uma moeda única tem.