quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Governo viola memorando com a tróica e desperdiça dinheiro

Vamos aos factos.
  1. Praticamente metade dos alunos das escolas privadas são subsidiados pelo Estado.
  2. Um aluno de escola privada custa ao Estado 4400 euros; um da escola pública, 3750.
  3. Muitas escolas privadas subsidiadas pelo Estado estão próximas de escolas públicas subaproveitadas.
  4. «Reduzir os custos na área da educação (...) através da (...) redução e racionalização das transferências para escolas particulares com acordos de associação» (Memorando, 1.8)
  5. Decisão de Nuno Crato: aumentar os subsídios às escolas privadas com contrato de associação.
Começa mal.

7 comentários :

  1. Bom Escolas secundárias com 300 alunos e 100 professores do 7º ao 10ºescalão

    a uma média de 30.000 ao ano x100

    3.000.000/300 dá 10 mil por aluno

    sem os restantes custos associados

    e há escolas com racios desses

    mesmo escolas com 1000 e tal alunos e 150 profes

    dá um professor para 7 alunos

    30 mil/7= 4000 e pouco

    fora contas de 500 euros em reparação de retretes 5 ou 6 vezes ao ano com sorte

    arranjo do parque de fotocópias
    electricidade porque a luz natural não chega ou assi vê-se melhor

    logo não sei onde arranjaram esses 3750

    é que profes a 15.000 ao ano com 10 ou 11 meses de contrato e 20 dias de subsídio de férias e etc

    são residuais no sistema
    e cada vez mais
    e geralmente vão(iam) para lugares de pessoal destacado

    logo essas contas...sei não
    convenca-me

    mesmo com uma maioria de profes a 1300 e 1500 ilíquidos por mês
    (em horários completos)

    18000/9alunos=2000 euros por aluno só de salarios de professores

    electricidade manutenção da escola

    já para não falar de obras de renovação milionárias em escolas que vão ser agora vendidas....
    (primárias ou de 1º ciclo
    sei duma com 7 alunos (antes do 1º corte nas escolas com números exíguos de alunos)que sofreu obras de 200 mil euros para?

    mesmo escolas primárias com 25 alunos
    2 professoras 1 funcionária mais serviço de transporte e refeições escolares e 300 euros em luz se for poupadinha
    e 400 em água se cagarem pouco/ao mês

    são no mínimo 50 a 60.000 euros
    mais 5000 a 7000 em refeições
    e 1000 e tal em manuais e materiais escolares se os pais comprarem a maioria

    e estas são as mais baratuchas
    a 2000 e tal por aluno ao ano

    o preço pode baixar se se meterem 40 alunos
    e é isso que estão tentando fazer

    porque as outras custam mais

    Há escolas com gastos de 300 mil em SASE e nem têm por ai uma multidão de alunos

    isto devia dar para pôr anonimato
    apareciam-vos ai tantos podres(Conta Google) – Terminar sessão

    OpenID OpenID

    agora com estas opções

    repare-se que nem defendo o privado

    pagam tã male

    ResponderEliminar
  2. logo seu Alves dos Reis não é querer marcar posição (o meu pai diz que boçê nã é o rei nem presidente da respúbica pa andar a falar à minha mãe coisas cá de mim)ou pensar que sou mejor quma data de putos dos 12 aos 99 anos

    é simplesmente que numa sociedade em que ninguém quer ver o outro lado
    nem entrar em compromissos

    a coisa acaba mal..
    ora bocemecê até phode dizer quisto vai mal
    mas credite moço com boas soluções ou com más vai ficar muito pior ou muitíssimo pior

    e meter os milhares de professores do privado no desemprego
    para meter uma parte deles no público

    também não vai resolver nada
    já com a crise há escolas públicas sobrelotadas

    e há muita escola privada
    e não só o colégio moderno
    com menos de 15% de subsidiados

    filhos de profes unibersitários e nã só
    (há 40 mil profs unibes e tamém se reproduzem e muitos pagam 500 por uma criada brasileira e 400 a 600 pelo filhote ao mês

    ResponderEliminar
  3. Segundo leio na notícia lincada, Nuno Crato decidiu efetivamente aumentar os subsídios em relação àqueles que tinham sido decididos por Isabel Alçada mas, ainda assim, diminuiu substancialmente esses subsídios em relação aos que vigoravam no ano passado.

    Ou seja, não me parece que a última frase do poste reflita exatamente aquilo que Nuno Crato decidiu.

    Note-se também que o facto de o Estado subsidiar 44% dos alunos das escolas privadas não significa que todos esses alunos frequentem essas escolas completamente à borla. Certamente que muitos deles, embora subsidiados, continuam a ter que despender uma quantia significativa em propinas.

    ResponderEliminar
  4. Note-se também que o facto de o Estado subsidiar 44% dos alunos das escolas privadas com quem tem acordos de associação....fora delas duvido que haja muitos subsidiados

    nºs onde estão?

    é que isto atiram-se números mas ninguém vê as parcelas

    e o 12º ter passado de 3 disciplinas
    para as actuais

    ou os 7ºs e 8ºs terem chegado às 13 com aquelas semestrais
    (a 50% da turma)
    serviram para quê

    acomodar mais pessoal nas escolas

    alienar mais os alunos com 10 TPC's por semana?

    isto atiram-se bojardas e ninguém planeia nada...

    tá a mesma merda de há 40 ou 37 ou 30 ou 20 ou 10 anos atrás

    escolas púbicas ou privadas tanto faz

    produzem imbecis que conseguem fazer testes ou falham neles

    produzem cidadãos?

    obviamente não...por mais formação cívica e aulas de português que tenham ou matemática ou história

    morra a bófia

    ó pai aquele puto bateu-me

    chama-se já a bófia

    e a bófia vem ou vocês fazem algo ou em venho aqui com a minha família e rebentamos isto tudo

    sa gente não protesta isto estava tudo na mesma

    ....e mudou tanto

    já ninguém abre os cornos à sacholada por causa de uma horta

    agora é por causa das capas do telemóvel ou daquelas iphonices iphodices

    tenham ajuízo....ensino adonde

    é igual ao de 73...com uns pozinhos de mistura

    ResponderEliminar
  5. Luís Lavoura,
    Isabel Alçada cortou em 30% os subsídios às escolas com contrato de associação. Depois, veio o memorando da tróica, que sugeria que se cortasse ainda mais. Nuno Crato decidiu aumentar-lhes o dinheirinho. Os factos são estes.

    ResponderEliminar
  6. Os factos são estes.

    Nuno Crato decidiu aumentar-lhes o dinheirinho....isso é um facto?

    é como dizer que se 35% dos activos trabalhassem para o estado chamavamo-nos Madeira

    Aumentou quem? quanto?

    Onde estão esses nºs

    Quantos alunos são abrangidos

    Qual é o custo por aluno por exemplo na Padre Alberto Neto

    e nas duas privadas não subsidiadas na linha de Sintra?

    ou pode-se escolher outra qualquer

    há escolas com vagas no público
    Que não necessitassem de professores e recursos extra?

    o desemprego no privado é preferível ao desemprego no público?

    etc etc et

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.