terça-feira, 2 de março de 2010

O Estado sustenta os privados

Tanta conversa de «cheque-ensino», tanta treta de o ensino privado não necessitar do Estado para nada, e cada vez é mais claro que sem o Estado a escola privada portuguesa já teria falido, ou pelo menos visto drasticamente reduzido o seu peso no sistema de ensino: 44% dos alunos da escola privada são financiados pelo Estado. Imagino que, se o Estado retirasse estes apoios, os Martins e Gonçalos cujos pais realmente podem pagar as propinas dos colégios privados não fossem suficientes para manter as referidas escolas a funcionar. E os meninos teriam que ir para a escola pública, onde há menos missas e mais piolhos.