segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Islamofobia

Max Blumenthal, sempre do lado certo, escreveu na sexta-feira um artigo que vale a pena ler, até porque é muito natural que estas redes existam também na Europa, muito mais bem organizadas e perigosas do que a organização de idiotas que apoiou e instigou o anormal que assassinou quase 80 pessoas na Noruega, em Julho passado.

15 comentários :

  1. anormal fora da norma

    em 2003 em diante quase 1500 bombistas suicidas fizeram desaparecer 20 mil iraquianos e uns 200 americanos e o Fernando Collor de Melo diminuindo o nº de brasucas no mundo

    extremistas são actualmente mais vulgares no islão
    (constrangimentos sociais e económicos variados)

    que no Japão
    ou Amok's na Malásia e Berserkers Escandinavos

    tendo em conta a massa populacional
    1500 ou 1600 milhões

    originaram mais mártires nos últimos 10 anos

    que os restantes 5.500 milhões

    cerca de cinco mil na esfera paquistânica-afegoa

    historicamente só o japão produziu mais
    na realidade produziu 3 milhões em apenas 15 anos

    a diferença entre estes suicidas e os 10 milhões que morreram em trincheiras várias em 14-18

    é só a % de glória

    ResponderEliminar
  2. Quando 50 ou 60 homens atacam com armas ligeiras uma posição fortificada em Herat ou Kandahar

    ou na Flandres...é necessário incutir-lhes medo da vida
    ou a glória da morte

    Islamofobia é um processo social de defesa

    Como a germanofobia ou a francofobia
    ou a sensofobia
    Haja Senso Sensei

    ResponderEliminar
  3. Portanto, os muçulmanos são perigosos. E muitos. E os americanos? São menos de 300 milhões, invadiram o Iraque para roubar o petróleo aos iraquianos, mataram talvez um milhão de civis, e são porreiros. Não percebo o seu raciocínio. :o)

    ResponderEliminar
  4. Percentualmente,povos com convições(isto já não leva c?) religiosas e baixo nível de vida ou depressão rápida desse nível tendem mais para actos extremos

    Aqui apenas é referido o efeito extremo, o do suicida-kamikaze( do divino vento) causa mais terror porque foge ao vulgar cidadão a capacidade de actos altruístas (fatais)dentro de uma comunidade
    com o fim de proteger um determinado modo de vida.

    Os americanos continuam a ser a potência militar global com um aparelho militar em crescimento desde 1918 (não mataram 1 milhão, mataram talvez 100 mil morreram mais 100 a 150 mil em guerrilhas e contra-guerrilhas internas

    Contrariamente à sociedade islâmica e japonesa (e outras) até 1945, o suicídio pela pátria ou pela fé...é residual na comunidade americana...muito individualistas

    Filipe Castro disse...

    Não percebo o seu raciocínio. :o)

    Compreendo perfeitamente, eu compreendo o seu ...está eivado de preconceitos ideológicos...mesmo na maneira como se exprime

    Invadiram para roubar...invadiram para controlar uma zona vital para a sua economia (um erro porque mesmo com o que ganharam em contratos de reconstrução e armamento, perdeu-se nos enormes gastos no transporte e demais manutenção militar (logística se preferir)

    e são porreiros...aqui não há porreirice para nações

    pode-se gostar de um assassino
    gostar de uma massa indiferenciada
    é mais difícil

    há quem goste de clubes de futebol ou de claques, há quem goste do Jean bedel Bokassa (um tipo porreiro para alguns)
    ou de um Ceausescu (um amigalhaço Soarista)

    logo essa maneira de dividir
    se os muçulmanos são o mal...
    então és pró-americano

    é retórica estúpida
    se digo uma piadola nos cachimbistas sou comunista

    se nos outros sou fascista

    é muito simplista..Quando o Siade Barre caiu nos idos de 91 havia muçulmanos extremistas (e outros)a queimar pessoas vivas por serem do partido

    Tal como os de polpot enterravam prostitutas vivas e filhas de oficiais para limparem a caspa de Lon Nol

    Como as famílias dos Tonton mAcoutes foram massacradas
    ou como o ANC queimava pretensos bufos e uns anos depois metia pneus a arder em bruxos ou miúdos que tinham mau olhado

    resumindo: eu cá não sofro de cancros ideológicos
    nem de cataratas nacionalistas

    Houve sempre pessoal que vê glória em guerras e em cruzadas e sempre haverÁ (RUMBLEFISH) PErcebido?

    nã?

    num faiz male

    ResponderEliminar
  5. Como dizia o velho Stein quem quiser combater por achar os outros encarnações do mal...que os combata
    mas os homens matam e morrem por motivos muito seus

    ResponderEliminar
  6. Se os americanos tivessem morto 1 milhão de iraquianos tinha-se notado na demografia geral (em 7 anos 150 a 200 mil por ano tinha deixado mossa).

    ResponderEliminar
  7. Nos anos 80 (Paquistão excluído), não existia no Norte de Africa nenhum fervor islâmico, nem nada que pressagiasse que apenas em meia-dúzia de anos 30 a 50 mil argelinos iriam voluntáriamente dar as vidas pelo islão (e levarem ao massacre de 100 a 150 mil no processo)

    Uma geração pode educar-se para o martírio num espaço muito curto de tempo

    O exército imperial em 1931 tinha umas poucas dezenas a centenas de soldados que se deixavam massacrar em ataques frontais a posições fortificadas

    Em 1938-39 já tinha dezenas de milhares (como Kalkhin Gol onde defenderam posições indefensáveis sofrendo como mais tarde no pacífico perdas muito superiores aos oponentes)

    Durante a guerra de 14-18 o nº de desertores e de suicidas aumentou
    com o aumento dos ataques frontais às linhas inimigas (mas raramente originou amok's e berserkers)

    é uma questão de indoutrinamento

    e isso requer muita coisa

    não é uma questão de números
    mas sim de probabilidade de ocorrência

    quanto ao resto.....sem comentários

    ResponderEliminar
  8. «Nos anos 80 (Paquistão excluído), não existia no Norte de Africa nenhum fervor islâmico»

    Paquistão no norte de África? ;);)

    ResponderEliminar
  9. Nos anos 80 (Paquistão excluído), não existia (no Norte de Africa) nenhum fervor islâmico

    o Norte de África conheço-o bem patego

    Paquistão só conheço paquistaneses

    e foi aí nos anos 80 e no Egipto de Anwar Sadat que surgiram e cresceram os primeiros

    fervores islâmicos

    (antes disso os movimentos pró-palestinianos e anti-judaicos

    não tinham pendor religioso

    (excepto o dos Wahabittas sauditas mas esses eram meia-dúxia de gatos
    que faziam notas Falsas à Riccardi

    bai investigar enquanto hai berbas

    bai bai..

    ResponderEliminar
  10. Ou seja excepto Paquistão e talvez alguns dos suicidas que mataram Sadat

    Não havia no mundo islâmico kamikazes da fé...

    Havia uns suicidas politizados

    a partir de 1980....tem havido dezenas de milhares

    é muita malta

    faz uma bisita de estudo aos biddonvilles petroleiros d'argélia qu'a logo precebes

    ResponderEliminar
  11. OK, lá substituiu «norte de África» por «mundo islâmico».

    Ainda lhe falta descobrir os bombistas suicidas marxistas-leninistas de uma certa ilha asiática, mas enfim, quem sou eu para dar lições a tão sabedora entidade que tantos pseudónimos tem e tantas lições dá a toda gente sobre tudo e mais alguma coisa, com erros e tudo para mostrar como fala d´alto.

    E «patego» é vossa senhoria.

    ResponderEliminar
  12. Ricardo Alves disse...Eu que não sou Alves dos Reis

    OK,não há dois centros de doutrinação em massa no islão sunita «norte de África» e paquistão-afganistão-cachemira e arredores

    o dito «mundo islâmico xiita produziu massas de carne para canhão semi-voluntária na guerra com o iraque e pouco mais
    Teve os seus momentos no Líbano mas são suicidas pontuais

    O PONTO era a produção de suicidas em MASSSA (como os japs e poucos outros grupos ao longo da história)

    Ainda lhe falta descobrir os bombistas suicidas marxistas-leninistas de uma certa ilha asiática.....foram quantos 1500?
    3000 ?
    nos primeiros anos da guerra civil
    a Argélia produziu mais de 2000
    bombistas suicidas

    no iraque 1500 estimados (mas provavelmente foram mais contando os arrependidos

    Na chéchénia (pátria do chéché Só Ares) foram coiso e tal uns 4000

    No Paquistão e arredores (cachemira incluida uns 6 a 7.000)

    é muito gajo

    e tantas lições dá (alguma vez isto são cu mentá ri us) nã sã lições (porque numa lição há sempre alguno que aprende algo) a toda gente sobre tudo (nem sobre futebol (desporte naxionel) nem sobre mûta merde) e mais alguma coisa,

    com erros (errare humanum est)e tudo para mostrar como fala d´alto.
    (sou tão baixinho)

    E «patego» é vossa senhoria.
    (Sou com muito gosto patego dos 4 costados, ó criança grande....

    Beijinhos...fez dóidói foi....

    ResponderEliminar
  13. Em termos de localização geográfica não tenho problemas, quando era um puto (ligeiramente mai novo katu em termos mentales e comportamentales
    ó Tales de Mileto...tinha uma fixação por mapas desde reproduções a reconstituições históricas

    e o Baluquistão e arredores cause de mudanças de regime desde Xaxânidas a Parto's com pouco parto sempre foram de mê interesse

    De resto 15 Blogues que estão na lista são do Práquistão...

    cê num é muito bservador né?

    atira a 1ª bojarda que lhe salta na miolêra

    ó filhote ê num quero ser nenhuma dessas estrelices políticu-bloguêras

    é só pa distraçã tipo que num quer ser patego...mas só pato

    Octávio (ex-regente agrícola)?

    ResponderEliminar
  14. Ricardo Alves disse...
    OK, lá substituiu «norte de África» por «mundo islâmico».

    a direcção manda informar que não faz substituições

    não queremos cá futebolices
    nem fut en polices

    a sequência era a inicial a outra é uma ins plicação para bossa all teza

    nexexita de encontrá im pré-cisões
    para se ex-itar?
    ô ex-Etar

    ResponderEliminar
  15. 12+1 cu ment'ário's de Azebedo

    dão mais azar

    que 14 Vale's

    Vale Tudo

    Ó Mata Cá Seres....

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.