quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Coisas fantásticas

Disseram-me que há um professor da Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa que defende nas aulas que "a homossexualidade" se cura com injecções e electrochoques. Eu julgava que era só aqui (e no Uganda e no Irão), mas aparentemente os portugueses também não se deixam enganar com modernices.

Não sei se o museu criacionista de Mafra chegou a abrir, ou se ainda existe. Mas com os criacionistas, a equipa do Blasfémias, e este psicólogo fantástico, Portugal começa a parecer-se cada vez mais com o Texas (e com o Uganda).

Verdade seja dita que aqui não temos uma Santa da Ladeira (o Texas é muito plano e há poucas ladeiras), o nosso Sol não dá pulos como em Portugal e as azinheiras não têm Nossas Senhoras empoleiradas, ou se as têm são inconspícuas.

E Portugal tem melhor peixe, melhor clima e melhor vinho. Mas não haja dúvidas: com estes prodígios todos, mais os toiros e os campinos, o Barroso e o Paulo Portas, a desigualdade e os salários de fome, a poluição e a lei só para os pobres, Portugal e o Texas estão cada vez mais parecidos. Agora precisamos de implementar a pena de morte.

4 comentários :

  1. Os toiros e os campinos estäo ao mesmo nível porque... ?

    ResponderEliminar
  2. Antes de ter escrito este post o Filipe deveria ter ido verificar se aquilo que lhe disseram é mesmo verdade. Eu tenho sérias dúvidas...

    ResponderEliminar
  3. O filipe, como belo espécime desta terra, não verifica nada e procura pretextos pueris para tentar refutar uma ideia denegrindo os seus defensores. O filipe é a exportação ideal de Portugal para o Texas. Continuemos a exportá-los.

    ResponderEliminar
  4. Por acaso verifiquei e conheço uma pessoa que ouviu estas palavras da boca de um docente.

    E para o anónimo das 2:23: alegre-se, senhora (ou senhor?), porque Portugal continua a exportar pessoas como eu e a deixar-vos aí os doutores Arrojas todos do PPD. :o)

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.