sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Os Antónios Ribeiros Ferreiras

Na semana passada estava a falar aqui com um destes membros da direita religiosa e a explicar-lhe que foram os sindicatos que criaram a família, essa instituição que a direita gosta tanto de invocar, ao lutarem pela abolição do trabalho infantil - contra a Igreja Católica! - e pela limitação das horas de trabalho diárias, e por salários decentes. E que foram os sindicatos que lutaram pelo direito à educação universal. E que foram os sindicatos que lutaram pela implementação de medidas de segurança nas minas e nas fábricas, onde os acidentes de trabalho destruíam famílias inteiras.

Sem os sindicatos a Europa ainda vivia na miséria abjecta dos livros do Dickens.

Não faço ideia quem seja o autor deste panfleto idiota - nunca li o Correio da Manhã, que considero um pasquim repugnante - mas acho que os imbecis que escrevem estas coisas, a quererem partir espinhas, deviam ser obrigatoriamente organizados em milícias e mandados à muralha do Porto de Lisboa a partirem a espinha aos sindicalistas. Se forem capazes. Isso é que era patriotismo. Escrever incitações ao ódio nos jornais parece-me de uma cobardia que pede bengaladas no Rossio.

6 comentários :

  1. Não é apenas incitar ao ódio - é mesmo incitar à violência. O que é um degrau mais acima.

    ResponderEliminar
  2. Na semana passada (In illo tempore) estava (Ego Meo (box))a falar aqui com um destes (gajos com membros que entortam pra lados malignos)membros da direita religiosa e a explicar-lhe (seguindo o grande exemplo do grande educador da classe operária Acácio Barreirinhas) que foram os sindicatos (Criacionistas-evolucionistas)que criaram a família, essa instituição(inexistente até à época) que a direita gosta tanto de invocar, ao lutarem pela abolição do trabalho infantil...acabou foi?

    tendo em conta que hoje tirando os trolhas o operariado é quase inexistente

    creanças só na escola
    (mesmo que não queiram e contrariamente aos tempos salazarentos da GNR a puxar pelo catraio (bais pá escola...ó mõe o pofessor bate-me)

    pasquim repugnante
    panfleto idiota...

    ora com language assi...
    debe ser difícil ex plicar algo

    plicas de folhados por aí
    Nunca li ....mas considero repugnante

    não é preciso ler ...tem má capa e a minha bizinha disse-me qu'era repugnante

    é mais ó menos como essa bisão do sindicato creança sionista,..9(

    pecebi tudo

    ResponderEliminar
  3. :o)

    Quando eu digo que nunca li, quero dizer que nunca comprei e que nunca consegui passar das primeiras dez linhas de cada artigo, pela qualidade intelectual miserável, reacionária e populista dos conteúdos. Bola, crimes, fotografias de mulheres em cuecas e panfletos rasteiros como este dos sindicatos... como se diz aqui, não deve haver arenques mais podres e mais moídos, porque este é mesmo do fundo do barril. Podia ser um dos jornais do célebre pornógrafo Rupert Murdoch!

    ResponderEliminar
  4. Quando eu digo que nunca li, quero dizer que nunca comprei....há é daqueles que vai ler de graça à hemeroteca

    Bola, crimes, fotografias de mulheres em cuecas...esqueceu-se da Manuela Moura Guedes

    é uma receita de sucesso

    repare-se que o público tem de ser oferecido no Continente com desconto de cartão

    é que tirando o futebol o crime e as mulheres ou os ângelos em cuecas

    nã há grande difrença nos pasquins

    alguns têm é mais palavrório

    aproximação à fé de Luís Miguel Cintra em 3 cd's na P2
    (ora um jornal que tem uma loja maçónica como página cultural...isse é qué porno quê?
    pornē,prostituta da grafite?

    é insultar o belhote imperialista

    que de resto é dominado pelos chinocas ou pelas...

    acho qu'isto é o plano de Mao e dos Mau-Mau pra acabar com a cultura ocidental

    o Correio da Manhã e a Capital entram cá em casa 1 vez por semana

    a capital e o século deixaram d'entrar nã sê pruquê

    A bola só quando cá vêm primos ó tios

    o Record curiosamente só vi um

    o Jornal do Crime e do Incrível desde qua tia avó da minha prima se finou nem vê-los

    e óia que moças em cuecas eram no Blitz

    e na Capital nem cuecas tinham

    o jornalismo de referência cabril nos deu

    cabril nã é cabrela
    cabrela fica ópé de Vendas Novas
    terra do estalinista que fugiu pra Moçambique com a secretária e os fundos

    infelizmente o partei arranjou-lhe outra colocação

    o homem lia pouco o avante

    foi tentado pelo correio da manhã

    tanto crime e eu nada...pois

    ResponderEliminar
  5. Já agora, só para ficar a saber, eu também não vou ler estes seus dois últimos comentários :o)

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.