terça-feira, 8 de março de 2011

O Carnaval dos Homens da Luta

Ao nível do gosto pessoal, subscrevo este texto do Nuno Ramos de Almeida. Mas (quadraturas do círculo de que só um tipo não sectário é capaz) ao nível político subscrevo este texto (aparentemente contraditório) de Carlos Vidal – na comparação dos Homens da Luta com os Gato Fedorento. Mesmo se achei (antes da overdose “meo”) alguma graça aos primeiros e nunca achei particular piada aos segundos.
No entanto, do que se trata aqui não é de humor. Nem de política. Mas de música. E aí, sinceramente, acho que os Homens da Luta estiveram bem, com uma boa música, alegre e agradável de ouvir (e sendo satírica é bastante portuguesa). E que me fizeram ligar alguma atenção ao Festival da Eurovisão, algo que já não acontecia há 20 anos. Vai ser interessante ver a reação da Europa. Prevejo votos em massa de Espanha, Grécia, Itália e talvez Irlanda. Tolerância e sorrisos da parte da França e da Alemanha. E desagrado da parte dos países de Leste.
De qualquer maneira, a música dos Homens da Luta não é mais do que isso: somente uma música. A política faz-se no dia a dia. Na rua, particularmente, no próximo dia 12.

3 comentários :

  1. é mais ou menos como a manifestação de dia 12 uma coisa sem propósito

    sem afinação

    uma diz que é uma manifestação

    a outra diz que é uma música festivaleira

    já houve pior

    também já ouvi melhor

    por mim tanto faz

    vamos ter uns 25 pontos como de costume

    apesar das outras também não deverem ser grande coisa

    deve haver melhores
    piores se calhar também há....
    embora não aposte muito

    mais desafinadas...ahn num sei

    ResponderEliminar
  2. «Prevejo votos em massa de Espanha, Grécia, Itália e talvez Irlanda.»

    Eu também gostaria de ver isso, mas não sei se vão entender a mensagem - a menos que os HL se lembrem de rasgar o retrato da Merkel em frente às câmaras, a mensagem pode perder-se na (ausência de) tradução.

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.