terça-feira, 8 de março de 2011

O Carnaval dos Homens da Luta

Ao nível do gosto pessoal, subscrevo este texto do Nuno Ramos de Almeida. Mas (quadraturas do círculo de que só um tipo não sectário é capaz) ao nível político subscrevo este texto (aparentemente contraditório) de Carlos Vidal – na comparação dos Homens da Luta com os Gato Fedorento. Mesmo se achei (antes da overdose “meo”) alguma graça aos primeiros e nunca achei particular piada aos segundos.
No entanto, do que se trata aqui não é de humor. Nem de política. Mas de música. E aí, sinceramente, acho que os Homens da Luta estiveram bem, com uma boa música, alegre e agradável de ouvir (e sendo satírica é bastante portuguesa). E que me fizeram ligar alguma atenção ao Festival da Eurovisão, algo que já não acontecia há 20 anos. Vai ser interessante ver a reação da Europa. Prevejo votos em massa de Espanha, Grécia, Itália e talvez Irlanda. Tolerância e sorrisos da parte da França e da Alemanha. E desagrado da parte dos países de Leste.
De qualquer maneira, a música dos Homens da Luta não é mais do que isso: somente uma música. A política faz-se no dia a dia. Na rua, particularmente, no próximo dia 12.