sábado, 18 de fevereiro de 2012

O Futuro

Qual será a situação de Portugal daqui a uns anos? O problema da dívida continuará a agravar-se, o crescimento continuará anémico, o desemprego continuará a aumentar?

Ou, pelo contrário, o aumento do desemprego estancará e até haverá alguma redução, o crescimento será superior, a dívida começará a diminuir?

Ao contrário de grande parte da opinião expressa à Esquerda, eu simplesmente não sei. Parece-me possível que pouco antes das próximas legislativas se consigam vislumbrar alguns sinais de melhoria... Seja por causa do ciclo económico em si, ao que se acrescentará o abrandamento da austeridade em vésperas de eleições, que já vem sendo nossa tradição; seja porque o BCE consiga comprar mais e mais dívida pela calada, numa tentativa de adiar a crise do Euro sem lidar com as implicações políticas correspondentes. Ou seja porque entretanto a Troika encabece renegociações da dívida que nos sejam mais favoráveis, com medo que acabemos como a Grécia (por hipótese, com a luta dos gregos a garantir-nos que os próprios credores velem com «mais zelo» pelos «nossos» interesses do que o Governo de Pedro Passos Coelho...). Seja ainda porque realmente, e ao arrepio dos nossos representantes eleitos, existam alterações estruturais na UE que permitam efectivamente alterar as regras do jogo a nosso favor(?), para que o Euro não colapse. Ou seja por qualquer outra razão. Há tantos imponderáveis...

Também é possível que não. Que, como muitos prevêem, se o autismo não parou até aqui, não é agora que vai parar. Que a dívida aumente, e aumente, e aumente. Que se atinja uma situação de ruptura, seja a saída de Portugal do Euro, seja o fim da moeda única, sejam movimentações populares sem precedentes que ponham em causa a legitimidade dos governantes.

Neste mundo globalizado, num mercado comum e com uma moeda única, muito do futuro de Portugal não é decidido pelos portugueses. Aquilo que para mim é importante e fundamental é perceber se, naquilo que está nas nossas mãos para sair da crise, tomamos as medidas certas ou agravamos o problema.

E é por isto - não pelas perspectivas de futuro, que para mim são incertas - que eu não confio neste governo. Facilitar os despedimentos é algo particularmente gravoso na situação de crise que se vive. Diminuir os subsídios de desemprego também. Tornar os transportes públicos mais caros tem um impacto negativo na balança comercial. Diminuir o número de feriados, e logo o 5 de Outubro entre eles, é um disparate que vai agravar os problemas. Aumentar as taxas moderadoras é fazer recair os sacrifícios naqueles que mais têm sofrido com a crise. Privatizar ao desbarato, sem transparência, é delapidar os recursos públicos. Manter todo o tipo de desperdícios e negociatas é indefensável. Investir os parcos recursos disponíveis na repressão é prejudicar o desenvolvimento do país.

O problema é que as asneiras são tantas, que é impossível dar a cada uma a resposta que merece.

3 comentários :

  1. O Futuro segundo o Jão Basquismo

    Qual será a situação de Portugal daqui a uns anos? Interrogaçõ...ele falade um futur
    próximo? daqui a uns 100 anos daqui a 2 ou 3? daqui a 15

    O problema da dívida continuará a agravar-se ou pelo contrário perdoam-nos a dívida e ficamos sem crédito a imprimir e a desvalorizar a moeda aos 9 a 25% ao ano?


    , o crescimento (de quê palerma? económico? continuará anémico,

    o desemprego continuará a aumentar? obviamente que vai aumentar onde é que metes 50 mil brasucas e moldavos da construção civil?

    Ou, pelo contrário, o aumento do desemprego estancará...nos 20 ou 25%?

    e até haverá alguma redução só se emigrarem 200 mil por ano... e como as coisas vão no lux e na suissa...só se for prá alemanha e putoguês só começa a falar alemão após 6 meses ucraniano fala em 3...,
    o crescimento será superior de década para década somos maiores...tu deves ter 1,80metros ou sés baixinho 1,71...

    , a dívida começará a diminuir?
    interrogação parva mesmo com déficit de 0,5% a dívida aumenta sempre..

    Ao contrário de grande parte da opinião expressa à Esquerda, eu simplesmente não sei. ...a melhor frase do dia...


    o abrandamento da austeridade
    (diz-se bancarrota controlada e sem crédito)



    Hist. cancer

    ResponderEliminar
  2. ...nham ...a Troika (os países que concedem crédito e as suas populações votantes (são os eleitores que decidem se levamos ou não...marcos ou francos em 2030) renegociações DOS JUROS da dívida que nos sejam mais favoráveis

    com medo que acabemos como a Grécia ainda não temos 34 greves por semana e um blogue com os horários das greves por região e por dia..
    também não temos um sector público que se possa vender por 70 mil milhões...desde ferrys a marinha mercante a portos a transportes do estado

    e muito mais águas a privatizar que aqui a seca dura...

    com a resistência a ferro e fogo de uns milhares de gregos e a greve de zelo dos gregos a garantir-nos que os próprios credores

    não queiram perder mais 80 mil milhões
    mas se já perderam uns 50 biliões
    (ou 50 triliões de dólares em 2008/2009...os 2 triliões do sul fazem uma mossa...e se juntarmos o Dubai os húngaros os romenos e a ucrânia dá mais uns trocos...

    do que o Governo da bancarrota sem crédito desde 2010 de Pedro Passos Coelho...


    existam alterações estruturais na ECONOMIA MUNDIAL E NA DA UE que permitam efectivamente alterar as regras do jogo a nosso favor(?),isto já é ficção económica bébé..uma economia em transformação? nem a revolução russa o fez...

    para que o Euro não colapse. Há tantos imponderáveis...GOSTEI...a sério 16 valores...

    se o autismo não parou até aqui, não é agora que vai parar....
    olha os consumos de água e electricidade...e só morreram 2800 nesta semana...logo

    Que a dívida aumente, e aumente, e aumente. Que se atinja uma situação de ruptura, seja a saída de Portugal do Euro, seja o fim da moeda única...em Portugal

    sejam movimentações populares sem precedentes que ponham em causa a legitimidade dos governantes...como a da Inglaterra ? são efémeras

    Athenas só foi posta a saque umas 5 vezes nestes 3 anos

    O problema é que as asneiras são tantas, que é impossível dar a cada uma a resposta que merece...

    impossível? provavelmente...

    ResponderEliminar
  3. 2 pontos contra...

    1º ao contrário do resto da esquerda (logo ao alienares-te de milhões de pessoas ganhas destaque...)

    2º há tantos improváveis...ao deixar uma frase ém suspenso indica que o narrador e o leitor comungam do conhecimento desssas improváveis todas

    o que é bom para o ego dos 2...
    devias escrever pró I ou para o correio da manhã...essa (pseudo)empatia leitor...escrivente é um must

    hi ganza occur??

    a Grécia depois do perdão sairá a breve trecho do euro

    não se pode manter um verme incumpridor dentro das restantes maçãs bichadas
    dá mau nome aos bichos

    O Egipto e a Grécia têm no exército os capangas mais poderosos dentro do estado
    (o nosso exército desde o tempo do PREC e do Cavacóide tem perdido poder político)

    percebeste?
    nã faz mal puto...

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.