quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

A austeridade é conversa

«Governo mandou fazer 100 livros e pagou 12 mil euros por ajuste directo a uma gráfica.

O gabinete do ministro adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, encomendou em Dezembro, à Gráfica MaiaDouro, SA, a produção, por ajuste directo, de uma centena de exemplares do programa do Governo, denominado Compromisso para uma Nação Forte.
O preço contratual foi de 12 mil euros, o que significa que cada exemplar, feito em papel couché semimate, custou 120 euros. O contrato data de 9 de Dezembro e o prazo de execução foi de 10 dias.
[...]
A capa do livro tem um fundo em tons de cinza-prata e apresenta uma ilustração em alto-relevo. Segundo adiantou ontem fonte do gabinete de Miguel Relvas, os exemplares destinam-se exclusivamente ao Governo.»

Sei que é um detalhe, mas é um sintoma e um símbolo.

Repetindo-me: «bem sabemos que são mantidas mordomias várias, e diversas formas de nepotismo, bem como aparente má gestão e uma falta de transparência que tudo indica sair muito cara, e que portanto a conversa sobre austeridade não é para levar a sério... »

8 comentários :

  1. nah jão basco 120 euros por edições limitadas é o normal em Portugal, 60 euros por uma com capas mais roskoff's (na Andaluzia custam só 40 euros e 100 uma de luxo) Barcelona ou república checa faziam mais barato

    São 6 homens (a 30 euros dia, 3 dias para uma edição 540 euros

    embalagem e transporte 200 euros (presumindo 1 kilo por volume)
    fretes de 40 euros/hora ida e volta 400 euros

    papel e consumíveis 1500 euros
    electricidade e custo por depreciação das máquinas 800 euros

    encadernação manual e gravação
    (100 euros por hora= 20 horas
    5 volumes por hora
    2000 euros

    5200 euros a 5500 de custos
    (logo lucro de apenas 6000 e pouco
    25% ou mais de imposto sobre os 12000 euros de produtos vendidos
    3600

    6000-3600= 1400 dá 14 euros líquidos por livro

    há editoras com mais lucro
    (e vendem centos de milhares de livros para o SASE..(serviços de acção social...goodbye stronso

    ResponderEliminar
  2. quanto ao nepotismo existe em todos os sistemas, hoje uma sindicalista da Fenprof, directora de escola e comunista vai para 37 anos, pôs o filho da prima com menos de 40 dias de serviço a passar por cima de 120 concursantes.
    E se fores ver as obras camarárias, há muito primo, tio e restantes a nadar nos fluviários de todos os partidos.
    Até o Garcia Pereira tem uma firma toda fixe(tal como seu patrono Arnaldo Matos educatore da operária classe.

    ResponderEliminar
  3. Se é o normal não sei, sei que um governo verdadeiramente austero limitar-se-ia a imprimir o documento e a fotocopiá-lo (ou simplesmente a disponibilizar o pdf online para quem de direito), poupando assim milhares de euros. Quantas viagens em classe económica é que é necessário fazer para pagar aquilo que se gastou à parva aqui?

    Quanto ao nepotismo, pode ser tão normal quanto a corrupção, mas o caso a que faço referência não deixa de ser vergonhoso, verdadeiramente escandaloso.

    ResponderEliminar
  4. Este "governo" poderia ser maldoso (como é), mas ser inteligente, e fazer este ajuste directo por algo, digamos assim, mais volumoso que apenas cem... volumes.

    Existem milhentas publicaçöes necessárias (como esta näo é) para vários Ministérios, onde o preço final unitário ficaria por 12€. Alto demais, bem sabido, mas näo täo escandaloso como isto.

    Mas este "governo" nem é *esperto*, quanto mais *inteligente*. Tudo bem, é à medida de quem o elegeu, 70% dos eleitores (50%*60% + 40%).

    ResponderEliminar
  5. o pdf online do regulamento interno de uma escola gera 100 a 150 impressões de cópias anuais por escola

    x1000 escolas

    150 mil/ano de 2 a 3 folhas as mais económicas

    isso e as actas e testes e...
    fotocópias para os filhos, para a empresa do marido para..

    são uns 3 milhões de cartuchos de impressora por ano para o parque escolar

    afora os centos de milhares para as fotocopiadoras

    e ajustes com reparações das casa de banho dos professores a 500 euros porque meteram um rolo de papel a forrar o cagadouro...

    são uns 300 a 400 milhões em consumíveis por ano e em serviços de manutenção (inclusive de elevadores para escolas com 2 pisos)

    100 mil professores do quadro
    a uma média de 1800
    são 180 milhões por mês X 14

    logo os 400 milhões são só 2 meses de salário...e não incluem os custos da EDP...
    e os projectores de sócraes e os computs consomem pró carago

    dAllog command

    ResponderEliminar
  6. resumindo...provavelmente já gastei 12.ooo euros nos últimos anos

    uma vez fui a um desses canapés dançantes no IST...que custou 1500 contos em salgadinhos e em toalhas para as mesas..

    são só 7500 euros mas a preços de 83...84?
    era sobre o futuro da engenharia em Portugal só pessoal da Quimigal eram 160...

    oolythi 1866 really...escreva as duas palavras 1866 é palavra?

    e já agora os cachimbos de raiz de nogueira e aqueles casacos de tweed que o professorado (universitário) punha nas despesas....
    os da Fundação da faculdade de...xyz então..

    logo 12.000 é peanuts
    são 24 arranjos dos w.c. nas escolas
    ou 50 euros por mês em manutenção de 2 ou 3 elevadores numa escola de 2 pisos
    600 euros por ano dá 20 escolas que tenham sido agraciadas por elevadores (ou rampas móveis pela parque escolar)

    ResponderEliminar
  7. Anything attast...isté engraçado

    uma vez o LNETTI (agora INETTI) pagou no centro do Lumiar onde estavam os wang novinhos em folha e os velhos commodore 64 do início da década 60 contos a 3 typos para gerarem conjuntos de letras aleatórias

    o projecto custou no total 1500 contos e nã produziu nenhum paper final...
    e os manuais de utilizador e os wang foram para o lixo juntamente com os commodore 3 anos depois

    substítuidos pelos 286...e Mac's
    nos gabinetes do pessoal do quadro

    desperdício em toneladas de equipamento electrónico que foram dados de graça pelas escolas aos pontos electrão

    uma escola deu 6 toneladas
    computadores velhos máquinas velhas coisas que os alunos trouxeram
    3000 telemóveis velhos numa escola com 100 e tal profes e 1200 alunos

    resumindo sucata que valeria uns
    3000 euros como sucata...

    e isto fez-se em centos de escolas
    e institutos
    e universidades
    e no ministério da agricultura então....
    e já nem falo aqui da linha da cp...
    logo há muitos serviços que esbanjam milhares num ano...

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.