quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Geração SEF

O João fez licenciatura, mestrado e doutoramento. Teve uns anos de bolsas, deu aulas e explicações, “colaborou” numa multinacional de manhã a manhã, foi despedido na hora e hoje não sabe o que se segue.

A Ana saiu da universidade para uns trabalhos precários que acumulou com os filhos, trabalhou em casa, em seis empresas diferentes e para 11 entidades. Onde está, sabe que não vai durar.

O Miguel é de Engenharia. O primeiro salário não o satisfez e inscreveu-se num mestrado que ficou a meio porque surgiu outra oportunidade. Ainda fundou uma empresa (que “não deu”), mas dez anos e cinco empregadores depois emigrou para o Brasil. Agora vai para Angola.

O João, a Ana e o Miguel conheceram o trabalho por conta própria e de outrem, os recibos verdes e o emprego a seis meses ou a um ano, o subemprego e o desemprego. Viram as empresas de trabalho temporário e a “flexibilidade”. Arriscaram, ganharam e perderam. Pertencem às gerações SEF (sem emprego fixo). O Paulo também, mas entrou na Jota aos 18. Organizou reuniões e comícios, angariou redes de apoiantes e contactos, e antes dos 30 conheceu um ministro a quem foi simpático. Passou então de dirigente da concelhia a dirigente de distrital, de deputado municipal a nacional. Aos 35 achou por bem licenciar-se e escolheu algo fácil. Jogou pelo seguro, mas é o único protagonista desta coluna que tem uma carreira.

4 comentários :

  1. Geração SEF Se Estás Falido?

    O João fez licenciatura, mestrado e doutoramento....bolas issé que foi andar a olhar pró papelame
    (o joão nã trabalhou nesse período para nã perder a bolsa?)

    Teve uns anos de bolsas,uns 10?
    12? deu aulas e explicações,
    quantas?
    “colaborou” numa multinacional de manhã a manhã, foi despedido na hora? qual hora?...trabalhou quanto tempo na multi?
    e hoje não sabe o que se segue.
    ó home lá no norte miúdas com licenciatura mestrado e doutoramento...geralmente andam a pastar o gado e a tirar o lête às bacas...uma inté teve 17 de média
    e 2 MBA's


    A Ana saiu da universidade para uns trabalhos precários que acumulou com os filhos...os filhos dão ajuda grandes putos

    trabalhou em casa, em seis empresas diferentes e para 11 entidades. Onde está, sabe que não vai durar....se trabalhou para 11 entidades e 6 empresas já devia ter descoberto antes

    olha ê adescobri isse aos 17....


    O Miguel é de Engenharia. O primeiro salário não o satisfez....eram só 1200 ao mês

    e inscreveu-se num mestrado que lhe daria exactamente o quê em termos de "competências"?

    ficou a meio porque surgiu outra oportunidade.....aparentemente fez má escolha? ou foi boa?

    Ainda fundou uma empresa....que tipo de empresa para que mercado...é que fazer uma empresa de informática ou de reciclagem de óleo sem clientela e com um mercado fragmentado é capaz de ser parvo

    se fosse uma de fazer notas de 100 dólares ou de transporte de coca ou de fabrico de metaanfetamines... (que “não deu”), mas dez anos e cinco empregadores depois emigrou para o Brasil. Agora vai para Angola....e fez lá o quê?

    é melhor que os nativos que tiraram o lugar de engenhêro na mesma universidade?

    pelo menos 3000 brasucas e 7000 angolanos tiraram cursos por cá nos últimos 20 e tal anos

    e conheço uma carrada deles que ou continua cá...ou estão trabalhando quase de graça em Malange ou algures qualquer coisa

    polis..nã é florianópolis
    e esse até uma pós-graduação no caltech teve...
    ganha 3000 reais...e paga 500 por um quartinho...e 600 pelo crédito do pópó...

    ResponderEliminar
  2. também arranjo um angolano com curso no ISA (da unibersidade do Jão Basco) que foi substituido esta semana por um português mandado pelo grupo grão pará...

    tendo em conta que vai ter de dar 2 meses de salário para voltar a entrar no ministério angolano da agricultur ou doutra merda qualquer

    e que vai ganhar um quarto do que ganhava...acho que é capaz de abrir um buracom no português engenheiro que foi pra angola

    quando ele morava na pontinha assaltava umas coisas de tempos a tempos...pode ser que volte às origens

    só quem angola a competição com a polícia é grande

    ResponderEliminar
  3. O Pedro aind ateve mais "sorte na vida" que o Paulo. Tiraram o curso com a mesma idade, mas um povo bronco e adormecido elegeu-o 1.o Ministro!

    ResponderEliminar
  4. Maquiavel disse...

    O Pedro aind ateve...com uma prosa deste nível tem pelo menos 2 doc's e 6 pós-doc's

    mais "sorte na vida" que o Paulo....o Pedro Santana Lopes tirou o curso com a mesma idade do Paulo Portas?


    Tiraram o curso com a mesma idade...mas um tirou o curso de maquia à vela ou seja comunicason sucia all pra morons & filhes e o outro tirou um curso de gestão de imbecis

    mas um povo bronco...esta gente que vota ofende o povo (que raramente vota)e adormecido (somos todos funk cionários estávamos acordados a fazer o quê?)elegeu-o 1.o..1.0? 1º elegem-se Ministros!!!!

    e io a pensar que os partidos elegiam quem ia ser de puta do
    e o poviléu que vota (50 e tal%) elegia os de puta dos...

    aparentemente maquia à vela é lá dos estados pontifícios ou do reino das duas sicílias ou

    terem eleito o caracolinhos dos óculos de massa o sucessor do papa doc da cgtp é que m'avassalou o juizo

    tira-se um tecnocrata do secretaRIADO e metem lá outro apparatchik ao menos um gajo da nomenclatura que tivesse mesmo trabalhado há menos de 25 anos...

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.