sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Nenhum deles

Pergunta a Isabel Moreira: «consegue imaginar-se o nosso chefe de estado ou o nosso PM a ter uma atitude equivalente?». Refere-se às declarações do presidente grego («Não aceito que meu país receba as zombarias de (Wolfgang) Schäuble. (...) Quem é o senhor Schäuble para zombar da Grécia? Quem são os holandeses? Quem são os finlandeses?»). Tem razão. De Cavaco, lembro-me da atitude que teve perante Klaus. Passos Coelho é um curvado. Mas também não imagino António José Seguro a ter uma atitude semelhante à do presidente grego. Ou, já que estamos nisto, também não imagino José Sócrates.

5 comentários :

  1. Pois. Mas se calhar é por os gregos serem assim, orgulhosos mas também inflexíveis, que chegaram a este ponto.

    Os portugueses são mais moderados, tolerantes, flexíveis, têm maior capacidade de adaptação. Será por isso que Portugal é um país preferido pelos imigrantes, e que os trabalhadores portugueses são tão bem vistos lá fora.

    ResponderEliminar
  2. Tolerante ou laxista?

    «Não orgulhosos» ou sem amor próprio?

    Moderados ou sem fibra?

    ResponderEliminar
  3. quem são os gregos para serem tão auto-destrutivos e laxistas e deixa andar...obviamente são gregos

    toda uma cultura de laissez faire como os russos e os povos do cáucaso e os italianos e os quais eram os outros?

    a verdade é que um engenheiro putoguês (excepto os emigrantes)
    a sujar as mãos...jámé
    tween acedesi

    ResponderEliminar
  4. Será por isso que Portugal é um país preferido pelos imigrantes pelos carteiristas romenos?, e que os trabalhadores portugueses são tão bem vistos lá fora (quando começaram a chegar à irlanda em massa fizeram-lhes o mesmo que faziam aos outros irlandeses.....

    quem foi o português que andou a fazer a ménage n'est pas...adoram-nos
    emigra vai...

    ResponderEliminar
  5. Ai Lavoura... nunca participará numa manif contra a austeridade, baixas as calças porque "pode ser ainda pior", e daqui a dois anos estará *ainda pior* que os gregos estäo agora.

    Mas nem nessa altura perceberá que a única soluçäo para manter alguma dignidade é revoltar-se como os gregos fizeram, näo entende que sem as manifs e greves o que anunciariam agora seriam 150.000 despedimentos, e näo 15.000! Nessa altura, ou terá morrido à fome, ou continuará a botar culpa... no Socras? Na CGTP?

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.