quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Financiamento público dos colégios de Cascais

Se há quem defenda que o Estado deve continuar a financiar as escolas privadas nos locais onde foram entretanto criados estabelecimentos de ensino público, por que haveríamos de nos ficar por aí? Princípios básicos de não-favorecimento por parte do Estado, ditariam que este também financiasse os colégios de Lisboa e Porto.

2 comentários :

  1. Não são financiados na totalidade como os outros mas têm programas extra para alguns alunos que até o ano passado colégios e "conservatórios" privados tinham alunos de escolas públicas em actividades extra-curriculares pagas pelo estado

    e havia alunos no privado com bolsas de estudo pagas pelo estado

    ResponderEliminar
  2. Exatamente. Eles falam só em o Estado continuar a pagar às escolas privadas que já têm contratos de associação com o Estado, omitindo que há centenas de outras escolas privadas, que não têm contrato de associação - e algumas delas gostariam de ter - e que desta forma estão a ser injustamente discriminadas.

    Ou bem que se dá oportunidade de ter contrato de associação a todas as escolas privadas, ou bem que não se dá a nenhuma. Agora, discriminar positivamente algumas das escolas privadas, não é justo.

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.