quarta-feira, 11 de abril de 2012

Uma questão de laicidade

Faz tanto sentido ensinar as crianças de um infantário a cantar «vai-te embora pulga maldita/batata frita/viva o Benfica» como faz sentido ensiná-las a entoar cânticos religiosos (cristãos ou não): nenhum. O encarregado de educação que afirma tratar-se de «situação de lavagem e de indução ao comportamento» tem toda a razão. E também quando acrescenta que «compromete os valores fundamentais da escola, ou seja, o respeito pela diferença e pela individualidade, o fomento da pluralidade de gostos e o civismo» e que «a escola deve ser um espaço onde nem política, nem religião, nem clubismos desportivos devem ser alimentados». Um exemplo de civismo, este encarregado de educação.