terça-feira, 3 de abril de 2012

Revista de blogues (3/4/2012)

  • «No passado dia 14 de Junho de 2007 escrevi aqui no Blogue um texto dedicado ao tema dos chamados produtos homeopáticos a que dei o título de «Sem Indicações Terapêuticas Comprovadas». Aí escrevi que na «Farmácia Homeopática de Sta. Justa» são «livre e impunemente vendidos, ou melhor, "impingidos" ao público, preparados misteriosos a preços astronómicos, embora sejam mistelas compostas quase só por água e nunca ninguém tenha conseguido demonstrar a sua eficácia ou sequer o seu efeito». E disse ainda que a atividade destas coisas chamadas «Farmácias Homeopáticas» cabe bem dentro do âmbito das competências de fiscalização da «A.S.A.E.». Pois bem: A tal «Farmácia Homeopática de Sta. Justa» não gostou. Vai daí, acusou-me do crime de «difamação»: diz a farmácia que a ofendi na sua honra e consideração e que, por isso, violei o artigo 180º do Código Penal Português. E lá vou eu a julgamento no próximo dia 17 de Abril (pelas 9,30H na 3ª secção do 3º juízo do Tribunal Criminal de Lisboa, no Campus da Justiça, na Expo). Vai ser giro! (...)» (Luís Grave Rodrigues)
Aproveito para manifestar a minha solidariedade para com o Luís, que aliás conheço pessoalmente. O texto incriminado está aqui.