quarta-feira, 18 de abril de 2012

Submarinos, de novo

Há razões para suspeitar de interferência do poder executivo nas decisões judiciais?

Eu diria que sim. Em primeiro lugar, como já mencionei, o desfecho surpreendente do caso Portucale.

Em segundo lugar, o famoso caso dos submarinos. Relembremo-nos de alguns episódios anteriores: na Alemanha dois ex-gestores da empresa Ferrostaal foram condenados por terem subornado gregos e portugueses, e na Grécia foi preso o ministro da Defesa que esteve envolvido no dito caso. Em Portugal, o processo arrasta-se há anos e Paulo Portas nem sequer foi indiciado.

Agora, o episódio mais recente: «PGR diz que não há dinheiro para perícias e aguarda verbas do governo»: «O procurador-geral da República (PGR) justificou hoje o atraso na investigação do caso da compra por Portugal de dois submarinos à Alemanha com a falta de dinheiro para a realização de perícias.»

É preciso dizer mais?

1 comentário :

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.