segunda-feira, 9 de abril de 2012

Imigrantes em fuga

Um indicador claro da vitalidade económica portuguesa a partir do final dos anos 90 foi como conseguiu absorver imigrantes eslavos e brasileiros. Este ano, o ciclo terminou e inverteu-se: os imigrantes estão de regresso aos países de origem. Os que saem não contarão para a taxa de desemprego. Mas são um sinal claro de como o mercado de trabalho está em contracção.

1 comentário :

  1. ó alves dos reis nã tã a voltar ós países de origem

    a brenda nã foi dar o cu para o Rio que tinha muita competição

    foi para a suécia onde inda há trabalho para muytos por enquanto que a demografia tamém é sueca
    e a suécia nã tem pitroil...

    nem os paquis do martim moniz regressaram à paquimania do desemprego crónicus

    nem o gaijo qué fotógrafo em Azeitão boltou com o filho Ali..pó Irak

    nem a milena foi bater carteiras no Ipod
    uns foram outros ficaram no estado associal

    que é melhor viver de biscates em putogal
    que viver na rua na bielorússia ou na ucraina

    o nosso médicus ucraniano foi pra Angola
    e as enfermeiras agora em excesso foram prós emirados árabes unidos

    onde o estado associal só dá prós locais

    e o trabalhador que cai do andaime
    morre no hospital por embolia gasosa...

    é uma técnica pr matar semita e camita e atrasado mental que fez escola nos anos 30

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.