quarta-feira, 4 de abril de 2012

PS e PSD - mais diferenças na promiscuidade com o poder económico

No texto anterior sobre este assunto escrevi: «É comum dizer-se, à esquerda do PS, que este último partido é quase indistinto do PSD no que toca à promiscuidade com o poder económico, ou à forma como o interesse privado de um punhado de actores é colocado à frente do interesse público.
A acusação que existe no PS uma excessiva promiscuidade com o poder económico, que existe um excessivo favorecimento destes interesses privados parece-me uma acusação justa. Já a afirmação de que o PS não se distingue do PSD a este respeito não é.»

O livro «Portugal Agrilhoado» foi escrito por Francisco Louçã. Este livro fala sobre esta promiscuidade, apresentando-se alguns indicadores relevantes, um dos quais corresponde à pertença, por parte dos deputados, a Conselhos de administração. Para cada bancada parlamentar, qual o número de «Conselhos de administração por deputado»? A resposta está na página 127 do livro referido:


No BE, no PCP e no PEV nenhum deputado pertence a nenhum Conselho de administração, que é exactamente aquilo que deveria acontecer em relação às outras bancadas parlamentares, para evitar conflitos de interesses e o tipo de promiscuidade que tem sido tão lesivo para o estado. Podemos observar uma elevada promiscuidade no caso do PS, mas ainda assim uma diferença relevante entre este partido e aqueles à sua direita, onde a promiscuidade consegue ser muito superior.

4 comentários :

  1. é berdade jão basco...cavaca diz que tá falido ninguém acredita porque é do PSD soares diz que não tem 300 eurros peçam ali ao meu motorista que ele ganha 2000 e tal tá cheio dele,,,,

    Soares desmonta hoje a teoria de que os presidentes da república não forAm fortemente afectados pela crise.
    Cavaco tinha razão, nem lhes sobra guito para pagar multas, têm de contar com a caridade pública.

    mas era do PSD (apesar de nunca o ter sido, o PSD é que era dele) ninguém acreditou

    já o PS é Soares...como é que alguém pode desconfiar daquela cara de bébé?

    o motorista ficou sem cArta?
    não faz mal trago um sobresselente na mala do carro
    soares dixit

    e só ares fala verdade

    no pcp nã há um único gaijo com uma casa de 3 milhões na côte d'azur
    o máximo que fazem é fugirem com a secretária para moçambique para um safári

    ou uma casinhota ali na isla cristina ou em ibiza
    mas se querem ganhar dinheiro ficam nas câmaras e não vão pra deputados

    se são do BE fundam uma ONG daquelas bem subsidiadas numa avenida que suba na direcção ao rato...isto de ONG's nã pode ser só prá gajada da LUAR

    já os ex-FP-25 de Abril têm de continuar nos assaltos na margem sul

    isto a vida eh tã in justa

    ResponderEliminar
  2. João Vasco,
    os dados que apresentas são pertinentes. Mas não concordo que se excluam pessoas de de serem deputados por terem a profissão X ou Y ou o cargo A ou B.

    ResponderEliminar
  3. Há casos de conflito de interesses muito evidentes que naturalmente implicam essa exclusão, e a lei pode ser mais ou menos apertada a esse respeito. Como não conheço outros casos noutros países, outras realidades, nem estudei o tema a fundo não sei se a nossa lei é razoável ou deveria ser mais apertada.
    Mas parece-me evidente que a conduta dos deputados a este respeito (na tentativa de evitar conflitos de interesses) deve ser ainda mais rigorosa do que aquilo que a lei permite, e que este exagero de pertenças a Conselhos de administração é um sintoma claro da promiscuidade que existe entre o poder político e económico.

    ResponderEliminar
  4. promiscuidade no phoder?
    acho que non ....a culpa é do estado
    os partidos estão inocentes eles não queriam fazer suruba foram obrigados

    os advogados do bloco e do mrpp não queriam ter susexo económico o estado obrigou-os a tê-lo

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.