sexta-feira, 19 de março de 2010

Terrorismo

Exactamente como os terrorismos de estado, os terrorismos privados têm três objectivos fundamentais: poder, dinheiro e sexo. As actas das “Brigadas 25 de Abril”, as histórias das vidas privadas de Carlos ou de Jacques Vergès,o livro de Stefan Aust sobre o grupo Baader-Meinhof, ou agora a aliança da ETA com a Camorra, não deixam muitas dúvidas sobre uma coisa: somos todos iguais.

2 comentários :

  1. Sim, os terrorismos, independemente da maior ou menor validade das causas que lhe deu origem, tendem a tranformar-se em organizações mafiosas,usando a extorsão de dinheiro e o tráfico, de drogas, armas e mulheres como meios de financiamento operacional e sustento dos líderes. Muitas vezes, é o estatuto entretanto adquirido por estes, que os impede de sequer pensarem em negociar com o lado oposto, se isso for viável.

    www.mindjacking.wordpress.com

    ResponderEliminar
  2. Havia um padre abominavel na Univ. Catolica (que eu nao vou nomear) que era um snob repugnante, caloso e mau, mas que um dia disse a um grupo de rapazinhos que o unico pecado absolutamente imperdoavel era a soberba. Isto nao e grande teologia, mas aplica-se aqui: todos estes animais, quando se apanham com bombas e com armas, tornam-se nuns Duroes Barrosos ou nuns Georges Bushes e nao hesitam em mandar pessoas para a morte pelas razoes mais repugnantes.

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.