quarta-feira, 24 de março de 2010

Londres expulsa agente da Mossad

Israel deve ser tratado como um Estado normal - e é um passo nesse sentido que o Reino Unido expulse um responsável da Mossad. Afinal, falsificar passaportes de outro Estado e usar as identidades de outrém é crime. E os Estados não estão acima do crime, tenham tido antepassados que morreram nas câmaras de gás ou não.

19 comentários :

  1. «As supostas câmaras de gás hitlerianas e o suposto genocídio dos judeus formam uma única e mesma mentira histórica, que permitiu uma gigantesca vigarice política e financeira de que os principais beneficiários são o Estado de Israel e o sionismo internacional e as principais vítimas o povo alemão, mas não os seus dirigentes, e o povo palestiniano na sua totalidade»

    ResponderEliminar
  2. Mossad = Gestapo = PIDE

    Morte aos nazi-sionistas

    Palestina Vencerá

    ResponderEliminar
  3. As supostas câmaras de gás hitlerianas e o suposto genocídio?!! Por favor, não seja idiota! A estupidez, em certas doses extremamente elevadas, é um crime.

    Daqui a bocado os americanos também não foram à Lua, a Terra tem seis mil anos, os egípcios eram astronautas e foram "os judeus" que afundaram o Titanic (um judeu chamado Rosenberg, ou Strindberg, ou Iceberg... é tudo a mesma malandragem).

    Vou propor que seja obrigatório ter um QI de 70 para se poder escrever comntários no nosso blog.

    ResponderEliminar
  4. "é um crime."
    Realmente... é um "crime... de pensamento"!! (crimidéia, em Orwelliano)....virou crime duvidar da Suprema Verdade Sionista. Das ideia do Big Brother Sionista. Por outro lado, se pode duvidar de Katyn, Dresden, Gulags, dos crimes dos EUA, Russia, GB, França, Israel..

    . E qual problema de duvidar do homem na Lua?? Quais são as evidencias de que o homem chegou na Lua???

    Filipe... se você acha bom criminalizar minha opinião... por favor... evite condenar a China, Cuba, Iran etc. afinal... os 3 entendem bastante de livre expressão que nem voce!

    Posso questionar Deus, Biblia, massacres promovidos por Fulano e Sicrano, etc. mas não posso questionar a religião Holocaustica!

    ResponderEliminar
  5. Os três primeiros comentários são três belos exemplos de delírios anti-semitas. E não ajudam nada a que os problemas que Israel representa sejam abordados numa base racional.

    ResponderEliminar
  6. claro..claro...
    e as criticas a Stalin, Mao, Fidel etc. não passam de delirios anticomunistas

    e as criticas a Bush, Reagan, Clinton etc. não passam de delirios antiamericanos

    e as criticas a Kadafi, Iran, Al Qaeda etc. não passam de delirios antislamicos....

    e as criticas ao papa, aos pastores, às igrejas etc. não passam de delirios anticristãos!!

    ResponderEliminar
  7. 1) Comparar a Mossad à Gestapo ou ao KGB é um delírio.

    2) Falar no «suposto» genocídio dos judeus é também um delírio.

    3) Gritar «morte aos nazi-sionistas» é ainda outro delírio.

    ResponderEliminar
  8. 1)Chamar Hitler de grande monstro antisemira é também um delírio!!
    (se Hitler queria matar todos os judeus, por que não matou Adolf EICHMANN, Alfred ROSENBERG e Reinhard Heydrich???)
    2) Gritar mortes aos "terroristas" islamicos é tambem delirio...
    3)Comparar o Iran ao diabo, a Hitler etc. é delirio!

    4) Acreditar que a Europa sofre com ingerencia sionista é um grande delirio!!

    ResponderEliminar
  9. Olá, sou um títere do sionismo!!

    ResponderEliminar
  10. A génese do nazi-sionismo: Zeev Jabotinsky, seu fundador (tem uma grande avenida em Tel Aviv com o seu nome...)

    For Zionism to succeed you need to have a Jewish state, with a Jewish flag and a Jewish language. The person who really understands that is your fascist, Jabotinsky.”

    Mussolini para David Prato, futuro Rabi-chefe de Roma

    Não há escolha: os árabes devem dar espaço para os judeus no Eretz Israel [Terra de Israel]. Se foi possível transferir os povos bálticos, é também possível transferir os árabes palestinos.

    Jabotinsky, 1939.

    A colonização sionista deve ou ser encerrada ou ser levada adiante contra os desejos da população nativa. É importante falar hebraico, mas é ainda mais importante ser capaz de atirar senão eu estou a brincar aos colonizadores.

    Jabotinsky, 1939.

    Saladino

    ResponderEliminar
  11. Pergunte aos 1,5 milhão de internados do campo de concentração de Gaza se é delírio gritar, como eles fazem, "MORTE AO NAZI-SIONISMO", ou se o delírio está em considerar tal slogan delirante...

    THE GRANDCHILDREN OF HOLOCAUST SURVIVORS FROM WORLD WAR II ARE DOING TO THE PALESTINIANS EXACTLY WHAT WAS DONE TO THEM BY NAZI GERMANY...

    http://www.normanfinkelstein.com/article.php?pg=11&ar=2510


    Saladino

    ResponderEliminar
  12. Senhor «Saladino»,
    exactamente?

    Os palestinos da faixa de Gaza estão a ser enviados para campos de concentração onde são sistematicamente fuzilados e gaseados? Está a acontecer o mesmo à população árabe de Israel?

    ResponderEliminar
  13. Desde o começo da Nakba (1948) já 4milhões de muçulmanos foram martirizados em todo o Médio Oriente pelos sionistas e seus mercenários yankees, por causa directa ou indirectamente, da defesa da entidade nazi-sionista...Só nas duas guerras do Iraque e na do Iraque-Irão foram 3 milhões...

    É um verdadeiro islamocídio que está em curso e que só terminará com o aniquilamento das forças satânicas do Eixo do Mal Telavive-Washington...

    O campo de concentração de Gaza é de extermínio lento apenas porque a atenção da opinião pública mundial não deixa ser mais rápida a solução final da questão palestiniana...

    Saladino, libertador de Jerusalém em 1178

    ResponderEliminar
  14. Sim, Finkelstein é judeu, filho de vitimas da Shoa, mas é um judeu decente, isto é, anti-sionista, violentamente anti-iSSrael, uma vergonha para o judaísmo.

    Saladino, que libertou os judeus do Terror Cruzado em 1178

    ResponderEliminar
  15. Já viram o site de Norman Finkelstein e as fotos que assinalam o paralelismo entre o guetto de Gaza e o de Varsóvia ?

    http://www.normanfinkelstein.com/article.php?pg=11&ar=2510

    Massacres da escória nazi-sionista em Gaza:

    http://www.islamway.com/gaza/gallery/?page=1

    Saladino

    ResponderEliminar
  16. Pequena lição de História do Médio Oriente para ignorantes nazi-sionistas e neo-coneiros…

    Os palestinianos são a população autóctone da Palestina, pelo menos há 4.000 anos. A sua religião maioritária até aos finais do séc. I foi o judaísmo, passando depois a ser o cristianismo (em todo o Médio Oriente e norte de Africa). Houve um fenómeno duplo de conversão religiosa (cristã) e de aculturação (helenística) que se repetiu seis séculos mais tarde, passando então a religião maioritária a ser o islão e a cultura a árabe. MAS O POVO É E FOI SEMPRE O MESMO.

    Só os ignorantes é que desconhecem o fenómeno da aculturação e imaginam que os “árabes” vieram todos de Meca !!! Meca era uma aldeia com umas centenas de beduínos… que não podiam povoar o vastíssimo império árabe do Indo aos Pirinéus. Os povos desses territórios não mudaram. Só que se converteram ao islão e assimilaram a cultura e lingua árabes. Também não foram os cidadãos de Roma que povoaram o também vastíssimo império Romano, mas os autóctones que se romanizaram a adoptaram o latim como lingua…Elementar…
    Mas há mais… É que a maioria (90%) dos judeus de hoje, os askenazis nem sequer são semitas e oriundos, mesmo longinquamente da Palestina !!!

    Só a minoria sefardita pode invocar esse parentesco longínquo: são semitas, mas magrebis e não palestinianos ou médio orientais (vieram com os árabes para a península em 711 com Tarik, ele próprio ex-judeu convertido ao islão após a conquista árabe do Magrebe, onde antes havia um reino berbere judeu).

    Mas os palestinianos de hoje é que são os descendentes directos dos habitantes da Palestina do tempo de Cristo. O povo é ETNICAMENTE o mesmo. É semita. Só a religião dominante mudou duas vezes em 2.000 anos. E não perdem o parentesco de sangue pelo facto de os seus antepassados se terem convertido sucessivamente ao cristianismo e ao islão. Foram judeus (que é religião e não comunidade étnica) mas já não são. Mas continuam a ser semitas palestinianos. Sempre.

    Os askenazins de pele e olhos claros são descendentes dos turcos khazares do antigo império Khazar, convertido ao judaísmo (séc VII-X) na região do Cáucaso, Ucrânia e Casaquistão (hoje), que foram depois empurrados pelos mongóis para a Polónia e Lituânia, berço dos askenazins medievais e dos quais descendem 90% dos judeus actuais e dos israelitas judeus. Não são semitas e NADA têm a ver com a Palestina. Também os filipinos são católicos e nem por isso têm a ver etnicamente com a terra de Jesus. Elementar…

    Ver, v.g., a obra de Arthur Koestler, judeu askenazin, “a 13ª Tribo” onde tudo está explicado…

    Saladino

    ResponderEliminar
  17. curiosidade: alguns nazistas do alto escalão eram judeus: Adolf Eichmann, Alfred Rosenberg, Reinhard Heydrich

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.