sexta-feira, 30 de julho de 2010

Passo Coelho, segue em frente, tens cada vez menos gente!

O debate sobre a Constituição já fez sangue: o PSD caiu 10.4% nas sondagens, enquanto o PS subiu 9.2%. Por mim, Passos Coelho e a sua equipa podem continuar a publicitar a sociedade perfeita deles, a utopia neoliberal sem garantias na saúde, na educação e no emprego, com perdões para os pides e direitos constitucionais para o bastonário da ordem dos advogados e para as empresas privadas de segurança. O abismo está em frente. Continuem a caminhar.

(De qualquer modo, o PS faria bem em preparar a sucessão. Sócrates está esgotado.)

18 comentários :

  1. O meu medo é que Passos Coelho não esteja a jogar mal, mas bem.

    Lançou as bombas e as acusações na altura das férias. Depois, em altura de eleições essas acusações já não trazem nada de novo, já não causam o pânico. Nessa altura modera-se um pouco e até parece um bom rapaz, com o partido todo unido atrás dele.

    Mas concordo contigo, o PS que se livre do Sócrates. E depressinha.

    ResponderEliminar
  2. os dados do barómetro de junho não são minimamente credíveis. um salto de 10 pontos de maio para junho e uma queda de 10 pontos de junho para julho, mostra que houve ali algum acaso estatístico.

    ResponderEliminar
  3. Miguel,
    havia outras sondagens, antes de julho, que mostravam o PSD a subir. Mas teremos que esperar pelos dados de outros institutos para confirmar a tendência.

    ResponderEliminar
  4. Ricardo, sim sem dúvida.
    Mas os outros institutos não chegavam sequer a dar valores acima dos 40, e o barómetro dava 47%.

    Seria curioso ver se o PS seria capaz de renovar a liderança antes de ir a eleições. Infelizmente parece-me difícil

    ResponderEliminar
  5. é óbvio que a subida e depois descida de 10% para o PSD é um outlier, ou seja, nunca teve 50% de intenções de voto, foi um erro da sondagem.

    mas é igualmente claro que o PSD lidera as intenções de voto em todas as sondagens. já sabemos quem vai ganhar as próximas eleições e o que isso vai custar.

    ResponderEliminar
  6. "a utopia neoliberal sem garantias na saúde, na educação e no emprego"

    Não sei bem onde é que o Ricardo Alves vê o PSD a publicitar tal coisa.

    NO emprego o PSD fez uma proposta canhestra de substituir uma expressão com um sentido historicamente conhecido por outra sem sentido claro. Não é claro que isso signifique perda de garantias no emprego (as quais, de qualquer forma, já não existem para a maior parte dos trabalhadores).

    Na educação o PSD apenas pretendeu substituir uma rede de escolas públicas por uma rede de escolas não necessariamente públicas. Não percebo em que é que isso afeta necessariamente as garantias de educação.

    Na saúde o PSD pretende explicitamente garantir a saúde para pessoas sem capacidades financeiras.

    Enfim... o Ricardo Alves anda a imaginar coisas.

    ResponderEliminar
  7. Luís Lavoura,
    são conhecidas as propostas do actual PSD na saúde e na educação: consumidor-pagador, cheque-ensino e cheque-saúde, etc. No emprego também se sabe que é favorável a uma maior flexibilização. O facto de terem proposto uma revisão constitucional para respaldar essas propostas só prova até onde estão dispostos a ir.

    ResponderEliminar
  8. Pergutaram às 800 pessoas porque é que deixaram de votar no PSD e elas respoderam "não gostamos da revisão constitucional proposta pelo PSD porque é um ataque neoliberal ao estado social...."

    Ou então é só uma conclusão a puxar para o ridículo...

    ResponderEliminar
  9. Tem outra explicação melhor, João?

    O outro factor deve ter sido a posição do PSD sobre o veto na PT...

    ResponderEliminar
  10. Ou "800 não é número para nada" também me parece uma boa explicação.

    Espanta-me que físicos se deixem embarrilar por esta pantominice das sondagens. Quando alguma coisa apresenta uma volatilidade muito maior do aquela que seria esperada pela 'física' do sistema, provavelmente o sensor está avariado. Certo?...

    ResponderEliminar
  11. Ricardo S.,

    Dizer que é um outlier é dizer que foi aquela sondagem que estava errada. Elas estão sempre erradas, só se aproximam mais da realidade porque usam os números das eleições em cima da amostra. O pessoal acredita nelas porque quer acreditar.

    Mas se fores ler os media do dia todos foram na história da revisão constitucional, como se houvesse 10% deles que sequer soubessem o que é isso.

    ResponderEliminar
  12. o comentário anterior é meu

    João

    (um dia percebo o que este gajo faz com as indentidades)

    ResponderEliminar
  13. João,
    embirra com todas as sondagens ou só com esta?

    ResponderEliminar
  14. Todas? Não. A taxa de desemprego resulta de uma sondagem a cerca de 23000 pessoas e é o único indicador económico de confiança. Embirro com sondagens a 800 pessoas sobre em quem votam.

    ResponderEliminar
  15. «Para Marcelo Rebelo de Sousa, o presidente do PSD "baixou nas sondagens devido ao projecto de revisão constitucional" que alimentou a agenda das últimas semanas.»

    http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1632094

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.