quinta-feira, 22 de julho de 2010

Dos consensos

Desde sempre que fui um fã do "sistema parlamentar holandês", um parlamento com um grande número de partidos que força a existência de coligações governamentais. Reduz a erraticidade legislativa e governativa, força debates sérios, força consensos, obriga os partidos a cederem e a sair das masmorras ideológicas. Em Portugal, em 36 de democracia, nunca vimos as esquerdas a negociar seriamente por exemplo.
Neste sentido, não posso deixar de discordar das várias críticas que têm sido feitas ao PS e PSD por estes aprovarem medidas que contrariam as suas tomadas de posição anteriores. Se queremos que a democracia não se resuma à ditadura da maioria, leia-se maiorias absolutas, é preciso consensos e cedências. Apenas lamento que estes consensos estejam a ser construídos daquele lado.