quinta-feira, 8 de julho de 2010

Censura

Haverá «outras questões» (não especificadas), mas a responsável da Playboy explicita as fotografias do número de homenagem a Saramago como razão para o encerramento da edição portuguesa: diz que «não aprova a capa ou as imagens da sessão fotográfica. "Não teríamos aprovado a publicação, se a tivéssemos visto antecipadamente. Como resultado, vamos rescindir o contrato com Portugal"».

Assim é: a censura pode vir de onde menos se espera. Até de uma revista conhecida internacionalmente por ter alargado as fronteiras do publicável. Mamas sim, anticlericalismo não.