quinta-feira, 1 de julho de 2010

A soberania ou é também económica, ou não é soberania alguma

Raramente devo ter estado tão de acordo com uma decisão de José Sócrates como esta de vetar a compra da Vivo pela Telefónica. A legalidade da «acção dourada» (o portuguesismo impõe-se) poderá ser contestada nos tribunais, pela não eleita Comissão de Bruxelas ou gerar uma OPA da Telefonica sobre a PT. Seja. Numa guerra há muitas batalhas. Os fundamentalistas do mercado e os castelhanos que protestem. Esclarecem-nos. Já é tempo de definir se o Estado se deve abster totalmente de intervir na economia, até ao ponto em que um Estado democrático não seja dono de nada nem decida sobre nada, e em que não haja poder que não seja económico e privado. E é também o momento de sabermos se a União Europeia vai continuar a servir para destruir a soberania democrática.