sexta-feira, 25 de maio de 2012

Ó Relvas, ó Relvas, demissão à vista...

O adjunto do Ministro adjunto Relvas demitiu-se. Parece que em Setembro, já em pleno escândalo SIED/Ongoing, trocava SMS´s com Silva Carvalho. Também houve telefonemas, inclusivamente de um telefone da Presidência do Conselho de Ministros. Presume-se que será por esta via que Relvas recebeu a ficha do SIED sobre a vida privada da jornalista do Público. (O Público mantém que Relvas ameaçou, em dois telefonemas separados, divulgar na internet com quem vive a jornalista, para além de outras ameaças.)

Já o escrevi e repito: ou assumimos que os jornalistas do Público estão a mentir, ou que Relvas mente. E nem acredito que adultos inventassem uma história destas nem a reacção de Relvas me convence que seja invenção. Portanto, a demissão é o que lhe recomendo.

Outra conclusão que se impõe é que os serviços secretos mantêm fichas sobre a vida privada de muita gente. Não, não são só islamistas e «perigosos» anarco-ciclistas. É mesmo dirigentes da oposição, dos sindicatos, jornalistas e outros. Que esta gente seja paga com dinheiro dos nossos impostos para fazer fichas sobre a nossa vida privada é perverso e nojento. Quem encontrar um elemento do SIED ou do SIS na rua que mude de passeio.