sexta-feira, 25 de maio de 2012

Espectadores da Fox News menos informados do que quem não vê notícias

É o que se conclui da leitura desta notícia, cuja passagem traduzo:

«O estudo, publicado este mês pela PublicMind, um centro de pesquisa da Universidade Fairleigh Dickinson que realiza sondagens, estudos de opinião e outras pesquisas relativas à opinião popular, descobriu que algumas organizações noticiosas têm um «impacto negativo» no conhecimento da actualidade tal que teria sido melhor se não tivessem observado notícias de todo.
O centro chegou a esta conclusão perguntando 1185 americanos ao longo da nação quatro questões sobre actualidades relativas aos EUA e cinco questões relativas a ocorrências internacionais, e sobre a fonte noticiosa - se alguma - onde obtiveram informação na semana anterior.»


Qual a relevância disto? Isto mostra o poder da propaganda. O dinheiro pode ser usado para distorcer a percepção da realidade a tal ponto, que uma das redes noticiosas mais importantes consegue ter um «impacto negativo» quando comparada à ausência de informação.

Os EUA em certos aspectos são uma caricatura do sistema político na Europa. Na Europa é tudo mais subtil, mesmo que por vezes mais perverso. Também é nos EUA que alguma direita portuguesa, muito provinciana, vai beber a sua propaganda (daí os discursos de Passos Coelho quanto à necessidade de empreendedorismo). Na questão do controlo da informação, convém não nos distrairmos.