terça-feira, 27 de abril de 2010

Discriminação por parte do empregador

A condição de celibato que era imposta às hospedeiras é muitas vezes dado como um exemplo "engraçado" da discriminação e interferência na vida privada que ocorria durante o Estado Novo.
Em 2010 existe ainda um empregador que se arroga ao direito de apenas contratar homens para certos empregos. E homens solteiros. E homens solteiros sem filhos. Os contratados são ainda altamente aconselhados à abstinência sexual. Consta que em Portugal há entre 600 a 700 homens, que tiveram de se demitir para contrair família.
Falo obviamente da ICAR, e os factos são conhecidos por todos. O que eu não sei, e nunca vi esta questão a ser levantada, é se esta discriminação é legal à luz da lei portuguesa. Alguém?

7 comentários :

  1. Quer comparar o posicionamento e direitos da mulher no mundo do mercado no Estado novo com a situação dos homens empregados da ICAR?

    ResponderEliminar
  2. «mini-spam»
    Todos Diferentes! Todos Iguais!
    TODOS os povos - quer os de maior, quer os de menor, rendimento demográfico - devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no planeta!



    ---> Os BANDALHOS-NAZIS (vulgo bandalhos brancos -> a maioria dos europeus) são assim mesmo:
    1- não se preocupam em constituir uma sociedade sustentável (média de 2.1 filhos por mulher)... consequentemente, como é óbvio, procuram-se infiltrar em qualquer lado...
    2- são INTOLERANTES para com a preservação/sobrevivência das Identidades Étnicas Autóctones...


    ---> Os IDIOTAS SUICIDAS (PNR's e afins) - estes idiotas não vêem que a maioria dos europeus (vulgo bandalhos brancos) não são de confiança -... andam por aí a perder tempo feitos otários.


    CONCLUSÃO: Antes que seja tarde demais, há que mobilizar aquela minoria de europeus que possui disponibilidade emocional para abraçar um projecto de Luta pela Sobrevivência... SEPARATISMO-50-50... e coligação (do tipo NATO) contra o inimigo comum: os predadores insaciáveis...
    {nota: como possui armas de alta tecnologia, e como também está demograficamente ameaçada... será da máxima importância mobilizar a Rússia para a coligação}


    ANEXO:
    ->Os Predadores Insaciáveis (africanos, islâmicos, etc) 'estão na deles'... isto é, estão numa corrida demográfica pelo controlo de novos territórios... logo, são INTOLERANTES para com a preservação/sobrevivência das Identidades Étnicas Autóctones...

    ResponderEliminar
  3. A questão é legítima: não se pode formar uma empresa que estatutariamente reserve as chefias para homens, e que lhes exija o celibato.

    Portanto, a exigência de celibato na ICRA é, à luz da lei portuguesa, discriminatória e provavelmente ilegal. Basta que um padre se case e exija continuar padre para levar isto a tribunal...

    ResponderEliminar
  4. Ricardo Alves

    Continua a sonhar com a primeira república?! Passaram cem anos! Estamos no século XXI!

    ResponderEliminar
  5. António,
    não, não sonho com a 1ª República.

    E até nem me recordo(*) de se ter discutido este assunto (a ICAR enquanto entidade discriminatória) entre 1890 e 1926.

    (*) Não que estivesse vivo, claro.

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.