sexta-feira, 9 de abril de 2010

The Plot Thickens

Acho que esta história não se vai embora tão depressa. Agora apareceu outra carta, relativa a outro caso em que Ratzinguer protegeu um padre pedófilo chamado Stephen Kiesle durante vários anos, enquanto ele se continuou a oferecer como voluntário para "trabalhar" com crianças.

A ICAR é extremamente eficaz a abafar histórias - alguém ouviu em Portugal a história do bispo de Phoenix, Thomas O'Brien, protector de pedófilos, que atropelou em 2003 (e matou) um homem (chamado Jim Reed) e fugiu? - mas eu julgo que desta vez a história vai continuar na imprensa por uns tempos.

Todas as semanas aparece um novo escândalo e apesar dos truques e das estratégias do Vaticano as pessoas começam a perceber em todo o mundo que a ICAR é uma organização crimininosa.

22 comentários :

  1. No que se concerne à pedofilia só o Polanski é que tem carta de alforria?

    ResponderEliminar
  2. "as pessoas começam a perceber em todo o mundo que a ICAR é uma organização crimininosa"

    E o Filipe Castro é um professor universitário mentiroso e rancoroso.

    A vasculhar a história pessoal de um bilião de pessoas nos últimos 50 anos queria o quê? Encontrar só rosas?

    ResponderEliminar
  3. :o) Primeiro: O Polanski nunca se vendeu como defensor da moral; segundo: o Polanski nunca negou ou tentou encobrir a vida sexual dele; terceiro: o Polanski foi preso, cumpriu uma pena e depois o juiz voltou com a palavra atras; quarto: o Polanski foi seleccionado por um presidente delinquente, anti-intelectual e provavelmente anti-semita (o pai dele ficou conhecido por contar uma anedota de judeus durante uma visita a Auschwitz; e quinto: o Polanski e odiado pela extrema direita desde o filme Chinatown.

    A ICAR tem uma historia desgracada de apoio a tortura e as ditaduras mais repugnantes, incluindo a alema. Em Portugal a ICAR apoiou o regime de Salazar, a policia politica, as perseguicoes pessoais, a tortura, o exilio, a guerra colonial e a humilhacao das mulheres, consideradas propriedade dos maridos. Foi contra a pilula, depois contra os preservativos, depois contra a pilula do dia seguinte. O discurso de odio da ICAR contra os homossexuais e um discurso criminoso, cruel e violento. Nao se quer que eu continue. Como dou uma cadeira de historia medieval, posso-lhe escrever aqui um livro sobre os crimes desta organizacao repugnante.

    ResponderEliminar
  4. :o) ...e podemos falar do Banco Abrosiano, da Loja P2, da morte 'misteriosa' de Joao Paulo I. Ou da politica da ICAR americana nos anos trinta, de apoio ao Terceiro Reich e frontalmente contra a proibicao do trabalho infantil.

    Ou da Guerra Civil de Espanha, ou das negociatas do Opus Dei em Espanha.

    ResponderEliminar
  5. Chame-lhe rancor. :o) Os padres do Vaticano andam a dizer que expor os crimes dos padres e um crime de odio como o anti-semitismo. Outros chamam a isto liberdade de imprensa.

    ResponderEliminar
  6. ...e quanto as mentiras, explique-me o que e que eu escrevi que nao e do dominio publico. :o)

    ResponderEliminar
  7. Há mais de um bilião de católicos no mundo. Uns são bispos, outros leigos outros padres, um Papa. Não espero que sejam melhores nem piores do que os que não são. Mas podiam ser tantos quantos os militantes da sua Associação. Fazer uma generalização ignominiosa com a maldade e o fervor ácido que salta por alguma blogosfera seria sempre uma injustiça infame.

    ResponderEliminar
  8. Acho que matar o mensageiro nao lhe resolve o problema. Nao foi "a nossa organizacao" que pendurou o Roberto Calvi pelo pescoco.

    ResponderEliminar
  9. "Como dou uma cadeira de historia medieval,"

    Ao que isto chegou...

    ResponderEliminar
  10. Ohohoh! "Isto?" "Isto" e uma universidade com 48 mil alunos e muitas centenas de milhoes de dolares em bolsas de investigacao. Adoro estes comentarios. "Ao que isto chegou!" ou (o Passos Coelho) "tem valores antiquados, como a honra..." :o)

    ResponderEliminar
  11. O Filipe Castro só ficará satisfeito quando a ICAR for marginalizada e o cristianismo proibido. Depois disso, talvez as outras religiões todas! Certo?

    Ou então, podemos ser cristãos, só não nos podemos é associar enquanto tal. Por favor, esclareça-me!

    ResponderEliminar
  12. Filipe... leia isso
    http://www.rebelion.org/noticia.php?id=103538

    ResponderEliminar
  13. Bem o Polanski nunca negou nada...ok, mas fugiu entao...e o presidente fascsssiata o respectivo pai e a extrema-direita sao argumentos sofrivéis. O filipe e também o polanski sabem que o que está em causa é o cumprimento da lei, o resto é areia pro olhos.

    Agora o que surpreende mesmo a sério é o facto de o Filipe dar aulas de história mediaval e falar com tanta simplicidade, eu recordo-me por exemplo de escrever que a seguir a cromwell todos os monarcas ingleses eram ateus entre outras coisas que só podem ser tomadas por chalaças.


    Eu licenciei-me em história e nenhum mas absolutamente nenhum ex-professor me revelou uma opiniao tao frouxa e tao parcial sobre a Igreja.

    Eu também tenho e li livros de historiadores com reconhecimento académico e científico que nao corroboram para nada as análises do Filipe e tenho quase a certeza que o Filipe tb os leu mas claro, é mais fácil estalar os dedos e proclamar a igreja culpada, é rápido e nao exige esforço.

    Dentro dos temas que apresentou podemos falar de tudo mas o que me deixa em mais espantado é alguém que com a sua responsabilidade ainda venha com a novela do papa JP I, o que é que se sabe de novo? Foi o senhor dos anéis que o matou?

    ResponderEliminar
  14. Sobre esta história do abuso de menores é mesmo engraçado ver os católicos que se pronunciam sobre isso a fazer-se desentendidos.

    Fingem que lhes estão a apontar o dedo por causa de meia dúzia de abusadores de menores, e revoltam-se contra a injustiça da coisa.
    Só que apontam-lhes o dedo por outra razão.

    Apontam-lhes o dedo porque a instituição quis esconder, a prejuízo das várias vítimas, esses mesmos abusadores. É isto que tem vindo a público e é isto que é vergonhoso.
    Fazendo-se de desentendidos podem realmente enganar muita gente, mas demonstram a quem conhece o que se passa o como estão dispostos a enganar.

    Se preferem a verdade, não se façam desentendidos. A acusação - justa - que tem sido feita à Igreja Católica não é de ter muitos abusadores de menores. É a de ter conspirado para os esconder, a prejuízo das várias vítimas passadas e futuras.

    ResponderEliminar
  15. Ke os catolicos tme a dizer sobre isso ?
    http://www.youtube.com/watch?v=Jr5Q5Volv88
    http://www.youtube.com/watch?v=YpcE6Igwr0U

    ResponderEliminar
  16. Frouxa?! :o) Agora a serio. Acho perfeitamente possivel que nehum historiador tenha chamado organizacao criminosa a ICAR. Mas isso nao quer dizer que a ICAR nao seja uma organizacao criminosa. A historia da ICAR e publica: as missas por Hitler, pelo Pinochet, pelo Franco, pelo Salazar, a recusa em considerarem os padres mortos pelo Franco vitimas da guerra civil, o apoio da ICAR ao rei Leopoldo da Belgica... e uma historia de violencia horrivel.

    Quando o Howard Zinn publicou a "People's History of the US" os outros historiadores ignoraram-no. Quase todos. E acusaram-no que nao ter notas de pe de pagina. Mas nunca nenhum refutou um unico facto no livro inteiro.

    ResponderEliminar
  17. O Nuno Gaspar pergunta-se "onde isto chegou" com os olhos no ceu. Mas as crusadas, as perseguicoes aos judeus, a repressao dos hereges, as guerras contra os ortodoxos (a invasao de Constantinopla)... Nao se vao embora apesar dos vossos argumentos. Ha uma cultura de brutalidade sanguinaria e de arrogancia no Vaticano que tem mais de mil anos.

    ResponderEliminar
  18. Castro... se possivel... divulgue os videos no blog!
    http://www.youtube.com/watch?v=Jr5Q5Volv88
    http://www.youtube.com/watch?v=YpcE6Igwr0U

    ResponderEliminar
  19. ah... a ICAR( via Zentrum) ajudou Hitler a virar ditador em 1933. O Zentrum votou a favor da lei de exceção que dava imensos poderes ao Führer.... em troca de uma Concordata!

    ResponderEliminar
  20. Ó Filipe,

    Certamente terão existido muitos factos horríveis, crimes, guerras e perseguições relacionados com pessoas que se assumiram católicas. Tal como terão existirão ligados a outras religiões, a movimentos políticos ou a ideologias ateístas. Ver alguém que se intitula professor de história medieval numa universidade americana fazer uma interpretação tão naífe e expedita da História, como o outro dia fazia sobre religiosidade e arte, leva-me a olhar para o céu, sim. E faz-me pensar que não será por acaso que nos Estados Unidos atitudes religiosas mais primitivas grassam com mais facilidade. Fanáticos atraiem fanáticos.

    ResponderEliminar
  21. :o) Mas nao se pode excluir a componente temporal da organizacao. Como e que se pode olhar para uma multinacional cuja politica ha 1500 anos tem duas prioridades, dinheiro e poder, e querer acreditar que a componente espiritual e mais importante?

    Sobre a religiao e a arte, veja o livro do G. Ostrogorski sobre o imperio bizantino: 1000 anos sem arte nem filosofia. Ou ahistoria do islao. E pense na explosao de criatividade do Renascimento, quando Roma se transformou num bordel gigantesco, e em Florenca se teve de dissolver o observatorio da homossexualidade quando comecou a parecer que todos...

    No minuto em que as pessoas deixaram de acreditar num deus e as perguntas comecem a aparecer. O mundo dos agnosticos e muito mais interessante. Pense na obra do Mozart.

    :o)

    Veja onde acabou o Savanarola.

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.