terça-feira, 14 de dezembro de 2010

O homem-estátua não nos dá a honra de dizer o que pensa

Cavaco Silva apresentou a sua candidatura à Presidência da República. Aproveitou a ocasião para ser deselegante com Manuel Alegre (já o fora com Francisco Lopes), e para apresentar lemas de campanha que mais parecem saídos de um manual de auto-ajuda: «acredito em Portugal» e «a coragem da esperança».

Num momento em que os portugueses, nitidamente, desacreditam de Portugal, o senhor candidato poderia, vá lá, talvez elucidar-nos sobre as ideias geniais que tem para resolver os bloqueios do sistema de justiça, ou como pensa que deverá ser a nossa relação com a UE a partir da presente crise. É que só acreditar não chega. A crença, só por si, não cria nada.