segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

E continuamos a pagar por eles

Vamos meter mais 500 milhões de euros no BPN. Para tapar o buraco cavado por quem? -Por aqueles senhores da fotografia lá de baixo.
  • «A SLN - sociedade detentora do Banco Português de Negócios - vendia acções suas a alguns "amigos" para depois as comprar mais caras aos mesmos "amigos", garantindo, logo no início do negócio, "um lucro chorudo e sem qualquer risco". (...) "Em carta de 2003 à SLN, Cavaco «ordenou» a venda das suas acções, no que foi imitado pela filha, em cartas separadas endereçadas ao então presidente da administração da SLN, José Oliveira Costa. Este determinou que as 255.018 acções detidas por ambos fossem vendidas à SLN Valor, a maior accionista da SLN, na qual participam os maiores accionistas individuais desta empresa, entre os quais o próprio Oliveira Costa. Da venda resultaram 72 mil contos de mais valias para ambos. Cavaco não podia «ordenar» a venda das acções (porque não eram transaccionáveis na bolsa), mas apenas dizer que as queria vender, se aparecesse algum comprador para elas. Mas o comprador apareceu, disposto a pagar 1 euro e 40 cêntimos de mais valia por cada acção detida pela família Cavaco, quando as acções nem cotação tinham no mercado."» (Esquerda.net)
 Dias Loureiro: -Olha ali os otários que vão pagar a nossa conta.
Cavaco: -E votarem em mim.

Novo grupo no Facebook: «dia em que não vou votar no Cavaco Silva».