domingo, 12 de setembro de 2010

Não se importem de repetir: não há consequências

As críticas do Conselho de Administração da RTP, do Provedor do Telespectador e da Entidade Reguladora para a Comunicação Social à tentativa de «inocentação» mediática do condenado Carlos Cruz chegam tarde demais: o mal já está feito. Carlos Cruz conseguiu numa semana lançar dúvidas e suspeições que o terão inocentado aos olhos de muita gente (o atraso na entrega do acórdão, e o site, que eu não vou lincar, também contribuem para que a formação de opinião lhe esteja, presumivelmente, a ser favorável).

Incrível é que não haja consequência alguma. O Conselho de Administração não demite ninguém? O governo cala-se?