segunda-feira, 2 de maio de 2011

Não é só o Vaticano que é Idade Média...

Nada a opor à ideia principal deste texto do Luís Rainha, mas o Luís poderia ter escrito o mesmo a propósito de um certo “casamento real”, na passada sexta feira, para onde a estação pública de televisão e as duas privadas mandaram jornalistas e apresentadores de programas da manhã em especial, para fazerem diretos!

3 comentários :

  1. Há uma diferença. O casamento real é um espetáculo de entretenimento público não sectário; todas as pessoas podem encontrar prazer nesse espetáculo. A beatificação do papa é, pelo contrário, um espetáculo sectário, religioso; nesse espetáculo, ou nos comentários a ele, encontram-se continuamente referências a uma religião verdadeira por oposição a religiões falsas. Mais, o Estado português é, por definição, laico, o que quer dizer que não deve favorecer uma religião em relação às restantes. Não se compreende, então, que a televisão pública transmita um espetáculo de uma determinada religião.

    ResponderEliminar
  2. Luís Lavoura,
    o casamento real também foi aproveitado para propaganda monárquica, geralmente sem contraditório. Se tivesse ouvido, por exemplo, a intervenção do Rui Ramos na SIC, compreenderia o que quero dizer.

    ResponderEliminar
  3. Os dois acontecimentos que referem, merecem outro enquadramento político ideológico. Ainda que reconheça que o vosso site aborda questões importantes, parece-me que alguem anda distraído sobre a agenda neoliberal e, ou, da nova extrema direita.

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.