segunda-feira, 30 de maio de 2011

Guia do voto «útil» à esquerda

Esclarecimento prévio: sou da opinião que cada um deve votar no partido que se aproximar mais das suas posições políticas no momento da votação, ponderada todavia a exequibilidade do cumprimento das promessas face à credibilidade de cada partido. Todavia, num momento em que se repetem os apelos ao «voto útil», parece-me útil recordar o seguinte sobre os círculos eleitorais e os resultados das últimas legislativas, e para benefício do eleitor de esquerda que se preocupe com o «voto útil».
  1. Em Lisboa, Porto, Setúbal, Braga e Santarém: PS, BE e CDU elegeram deputados nas últimas eleições legislativas. Nos três primeiros, só um tsunami  impediria que elegessem desta vez.
  2. Em Aveiro, Leiria, Coimbra e Faro: PS e BE tiveram deputados eleitos, o que parece difícil para a CDU.
  3. Em Évora e Beja: o PS e a CDU terão eleitos, o que parece difícil para o BE.
  4. Em Viana do Castelo, Vila Real, Bragança, Viseu, Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Açores, Madeira e nos dois círculos da emigração: só o PS deverá eleger.
Nota para os comentadores: não estou a indicar a ninguém como votar. Só estou a recordar o que é previsível que se passe, tendo em conta a dimensão dos círculos e o historial da votação em cada um. Quem se preocupar realmente, que faça as contas para o seu círculo eleitoral.

14 comentários :

  1. guia do voto inútil

    o PCP/CDU colabora com o regime nas suas obras com 15 mil desempregados
    70 milhões em obras
    inclusive 800 mil euros para uma ciclovia entre duas faixas de atropelamento num bairro com menos de 300 almas todas excepto 20 acima dos 60 anos e se contarmos com o lar da mesericórdia vão até aos 96

    logo obras para dar emprego aos desempregados?

    nem por isso
    só se os desempregados forem brasileiros e moldavos
    com uns camaradas mestres de obra à mistura

    ó seu real papalvo

    eu nem gosto mais do PSD do que da CDU

    de resto até tive uns arrimos com os comunas e com os evangélicos

    o problema é que a direita talvez mantenha o fraco nível de vida de 2 milhões de portugueses

    a esquerda apenas lhes pode dar adiamentos até 7 milhões de portugueses terem todos o mesmo nível de vida
    que de escudos feito trocado em euros nem chegará aos 100

    ResponderEliminar
  2. no Vale do Ave as empresas que subsistiram 20 anos após a falência cavaquista e soarista das suas irmãs mais velhinhas

    estão agora a fechar
    o consumo interno não garante os salários dos que estão fora de sector público

    e a breve trecho nem esses garantirá

    mas cada palerma pode ter a sua fé
    no nosso Sócrates
    ou em nosso Ford

    ResponderEliminar
  3. Ricardo,
    mais interessante (mas muito difícil), seria ver qual o partido de esquerda que estás prestes a eleger mais um deputado, em cada distrito.
    Pode ser que num dado distrito faltem 500 votos para um da CDU, mas 10000 para um dos restantes.

    (p.s. era um comentário meramente matemático, não político)

    ResponderEliminar
  4. Miguel,
    é uma questão interessante, mas tomar-se-ia como base o quê? O resultado das eleições, as sondagens?

    ResponderEliminar
  5. Tu não apresentaste há dias uma simulação da distribuição dos deputados? Para isso é necessário ter previsões distrito a distrito. A partir daí seria "fácil".

    Tenho a ideia que houve uma sondagem com resultados a nível distrital, mas não tenho a certeza.

    De qualquer modo, deveria haver poucos distritos onde fosse possível concluir alguma coisa de jeito.

    ResponderEliminar
  6. Miguel,
    o que eu fiz aqui:

    http://esquerda-republicana.blogspot.com/2011/03/resultados-eleitorais-expectaveis-de.html

    ...foi somar os resultados das eleições de 2009 para BE+CDU e ver como ficaria a distribuição de deputados.

    O que estás a propor é colocar os resultados de 2009 no simulador, alterá-los com as sondagens, e prever qual será o próximo deputado de esquerda a entrar?

    ResponderEliminar
  7. Sim, seria isso, e verificar para cada distrito qual é o partido de esquerda que precisa de menos votos para eleger mais um deputado.

    Agora, há um enorme problema, a variação das votações será muito diferente de distrito para distrito.

    ResponderEliminar
  8. Vocês (Miguel e Ricardo) votam em Lisboa e não têm propriamente de se preocupar com isso. Em Lisboa não há votos "inúteis" ou, se os há, há em todos os partidos.
    Eu, em Braga, é que anseio pelas sondagens de sexta feira, e espero que contenham previsões por círculo eleitoral. Essas sondagens podem influenciar o meu voto (para qualquer um dos três partidos de esquerda) que, caso contrário, estaria decidido.

    ResponderEliminar
  9. "2.Em Aveiro, Leiria, Coimbra e Faro: PS e BE tiveram deputados eleitos, o que parece difícil para a CDU"

    Em Faro não parece dificil para a CDU elegar um deputado, já que o distrito passou de 8 para 9, e pelos resultados anteriores esse deputado iria para a CDU (por umas simulações que estive fazendo, usando as sondagens e um modelo de proportional swing, a CDU e o CDS estão a disputar esse lugar)

    ResponderEliminar
  10. Filipe,
    realmente, não é óbvio que a CDU consiga manter o seu deputado em Braga. Deve ter sido o último a entrar. Por outro lado, o BE nas últimas legislativas elegeu o seu deputado mais «confortavelmente», mas num cenário em que passe para metade da percentagem pode perder o seu deputado de Braga. Não é óbvio.

    ResponderEliminar
  11. Miguel (Carvalho),
    o artigo que o Miguel (Madeira) citou indica que a «variação proporcional», em Portugal, não é muito diferente de distrito para distrito. Seria possível (e útil) aplicar a variação proporcional das últimas sondagens aos resultados de 2009 (com as alterações nos nºs de deputados nos círculos) e tentar prever onde é que os deputados de esquerda estão em risco e onde é que uma pequena diferença pode contar.

    Estarão interessados nisso?

    ResponderEliminar
  12. A tarefa não seria tão grande como parece porque só vale a pena fazê-la numa dezena de distritos, se tanto.

    ResponderEliminar
  13. Ricardo, é muito provável que a CDU mantenha o Agostinho Lopes em Braga (já o manteve em circunstâncias tão ou mais difíceis, e a tendência da CDU é para estabilizar). O Bloco é que eu tenho dúvidas.

    ResponderEliminar
  14. Filipe,
    os resultados em Braga foram (2009):

    PS 207 695 votos

    PSD 153 448 votos

    CDS 48 158 votos

    BE 38 898 votos

    CDU 23 037 votos

    Se se confirmarem as sondagens que indicam que o BE perderá cerca de 1/3 do seu eleitorado, ainda ficará à frente da CDU em Braga. Mas o melhor seria mesmo fazeres um post com as contas... ;)

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.