segunda-feira, 30 de maio de 2011

Guia do voto «útil» à esquerda

Esclarecimento prévio: sou da opinião que cada um deve votar no partido que se aproximar mais das suas posições políticas no momento da votação, ponderada todavia a exequibilidade do cumprimento das promessas face à credibilidade de cada partido. Todavia, num momento em que se repetem os apelos ao «voto útil», parece-me útil recordar o seguinte sobre os círculos eleitorais e os resultados das últimas legislativas, e para benefício do eleitor de esquerda que se preocupe com o «voto útil».
  1. Em Lisboa, Porto, Setúbal, Braga e Santarém: PS, BE e CDU elegeram deputados nas últimas eleições legislativas. Nos três primeiros, só um tsunami  impediria que elegessem desta vez.
  2. Em Aveiro, Leiria, Coimbra e Faro: PS e BE tiveram deputados eleitos, o que parece difícil para a CDU.
  3. Em Évora e Beja: o PS e a CDU terão eleitos, o que parece difícil para o BE.
  4. Em Viana do Castelo, Vila Real, Bragança, Viseu, Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Açores, Madeira e nos dois círculos da emigração: só o PS deverá eleger.
Nota para os comentadores: não estou a indicar a ninguém como votar. Só estou a recordar o que é previsível que se passe, tendo em conta a dimensão dos círculos e o historial da votação em cada um. Quem se preocupar realmente, que faça as contas para o seu círculo eleitoral.