domingo, 29 de maio de 2011

E se a mortalidade infantil aumentar?



(Gráfico Pordata)

Se o PSD e o CDS constituírem governo e implementarem as suas ideias sobre a privatização da saúde e cortes (ou extinção) do complemento social de inserção, e se no seguimento destas medidas a mortalidade infantil aumentar, alguém vai ter que se responsabilizar por esse flagelo.

Portugal é um dos países do mundo com menor taxa de mortalidade infantil, menor do que nos EUA e do que na generalidade dos países onde a saúde não é universal nem tendencialmente gratuita e dos países que não cuidam dos mais pobres entre os pobres. Este é um dos parâmetros que mostra com maior clareza a diferença entre o país de Salazar, onde as crianças até um ano de idade morriam a uma taxa que já não se usava há décadas no resto da Europa (Bulgária e Roménia incluídas), e o Portugal de hoje. Em 2010, pela primeira vez desde há décadas, a mortalidade aumentou, aumentou residualmente, mas aumentou. Espero que daqui a 4 anos não estejamos aqui a lamentar uma subida bem mais considerável.

7 comentários :

  1. Vale a pena recordar que foi com base na subida das estatísticas de mortalidade infantil da ex-URSS que Emmanuel Todd fez a previsão de que a URSS se encontraria à beira da implosão.

    ResponderEliminar
  2. O Emmanuel Todd é muito bom. Há dois anos escreveu um livro sobre a pujança demográfica do Magrebe, a elevada proporção de jovens na sociedade e comparou com a altura do Maio de 68. Dois anos depois a realidade deu-lhe razão.

    ResponderEliminar
  3. "Se o PSD eo CDS constituirem governo..." Mas não foi o que o BE eo PCP quiseram a 23 de Março, quando se puseram ao lado deles para derrubarem o Governo de José Sócrates!?!
    E agora estão aflitos...
    Agora, só têm uma solução: é VOTAR ÚTIL NO PS, visto que continuam no "nirvana da esquerda imaculada" e nem têm o rasgo - que seria histórico - de aceitarem um compromisso de governar com o PS!
    SEJAM REALISTAS E DEFENDAM O INTERESSE DO PAÍS!

    ResponderEliminar
  4. A ideia do Emmanuel Todd de relacionar as estruturas familiares com as ideologias políticas maioritárias nas populações também parece, à primeira vista, arrojada. Mas a verdade é que bate certo.

    ResponderEliminar
  5. E, já agora, Rui: o Todd não resumia a ocorrência de revoluções à demografia. Ele chegava também à conclusão de que era necessário haver alfabetização.

    ResponderEliminar
  6. Exactamente Ricardo, dai a primeira ter ocorrido na Tunísia, o país do Magrebe que mais investiu na educação.

    ResponderEliminar
  7. Ai que guia täo desnorteado!

    Quem o lê até pensa que os PEC I, II, e III näo foram aprovados pela DIREITA em conluio com o PS!

    Volta para o Largo do Rato, ou vai buscar uns emigrantes para escrever balelas por aqui...

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.