terça-feira, 26 de outubro de 2010

O exemplar Estado de Direito que as democracias «ochidentais» criaram no Iraque

Tareq Aziz foi condenado à morte. Será que desta vez também vamos ver imagens da execução no youtube, com os carrascos a dançarem de alegria?

6 comentários :

  1. Bem, Tariq Aziz é condenado pelos mesmos crimes que Sadam Husein, ou seja, pela repressão aos habitantes de uma aldeia do Sul do Iraque na sequência de um atentado contra a vida de Sadam.

    Pergunto, se Sadam foi condenado por esses crimes, por que motivo não haveria Tariz também de o ser?

    E pergunto, acaso não foi essa repressão criminosa?

    Podemos não gostar da pena de morte, mas eu diria que os crimes referidos foram efetivamente muito graves e merecedores da pena máxima.

    ResponderEliminar
  2. Foi também condenado, por ser membro de uma élite económica estranha ao islão, que amealhou muito e empobreceu economicamente o país,promoveu julgamentos sumários e execuções de xiitas por desrespeito ao tabelamento de preços do pão e farinha
    nos anos 90, enquanto deixava impunes os cristãos e sunitas que açambarcavam e especulavam com dezenas de milhares de toneladas

    Pois essa é que leva à sua execução e disso não se fala

    ResponderEliminar
  3. Pelo menos 50 execuções e mais de 2000 prisões de míseros comerciantes, os cristãos caldeus e os judeus e os arménios se contarmos com o Gulbenkian, tiveram o papel principal na expoliação dos árabes islamitas até aos anos 50
    e 60 anos depois, a memória persiste, é a desvantagem do analfabetismo, a cultura oral perpetua os ódios.

    Como diz o João Vasco, isto é titica

    ResponderEliminar
  4. O julgamento e condenação de Aziz é uma farsa judicial. Qualquer semelhança com Nuremberg e Haia "é mera" coincidência

    ResponderEliminar
  5. Pq não condenaram os padrinhos de Saddam... os dirigentes dos EUA??? Foram eles que armaram Saddam, abençoaram os seus pecados!!!

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.