terça-feira, 21 de junho de 2011

Rui Tavares abandona a esquerda marxista

Três notas sobre o mais recente desenvolvimento da crise do BE.
  1. Tenho estima política por Rui Tavares, mas a razão invocada para abandonar o grupo parlamentar do BE (uma troca de posts com Louçã a propósito de saber se Daniel Oliveira fundou o BE ou não) parece um mero pretexto. Algo mais terá acontecido.
  2. Ao deixar no Parlamento Europeu a etiqueta «BE», presumivelmente estaria condenado à irrelevância se permanecesse no grupo da Esquerda Unitária Europeia. Ao juntar-se aos Ecologistas, parece responder ao dilema discutido nos comentários deste post, e escolher a esquerda que tem governado na Alemanha ou na França, contra a que há 20 anos se encontra, a nível europeu, mais acantonada do que antes.
  3. Um abandono também é uma desistência. Significa isto que a luta por transformar o Bloco foi perdida?