domingo, 4 de julho de 2010

Novo Sócrates?

É prematuro e exagerado dizer que «o socialismo saiu da gaveta». O Sócrates da entrevista ao El País justifica a sua decisão de accionar a célebre acção dourada/direitos especiais com argumentos «racionais e não políticos», de defesa (diz ele) de uma empresa estratégica. Mas é realmente estranho ler Sócrates a acusar a Comissão Europeia de «posições ideológicas ultraliberais contra a presença do Estado» e de «preconceito contra a posição accionista dos Estados».

1 comentário :

  1. Comissão presidida pelo candidato que Sócrates apoioue pelo qual fez campanha... uma prova aliás de que em Portugal, o nacional-provincianismo se sobrepõe à ideologia "Ultra-liberal" e a qualquer outro valor.

    Fosse Mário Machado candidato no estrangeiro e lá estariam os do costume no habitual beija-mão. Afinal o que é nacional é bom.

    Já quanto ao sacrossanto mercado, ninguém ousou gritar que o deixassem funcionar, isto é, delapidar ainda mais o país através da venda de um dos seus maiores e mais importantes activos.

    Fica a dúvida: e à direita - patriotismo ou mercado? Qual estará 1º na escala de valores?

    Uma coisa é certa, se o Estado continuar a vender as empresas que geram receita, no futuro (senão agora), os mágicos 3% que se querem impor até na Constituição, serão alcançados pela receita tradicional: mais IVA, mais IRS, mais IRC.

    Parece que no Estado, se voltou ao catolicismo medieval e à ideologia da maledicência do lucro. Se uma empresa dá lucro, venda-se que é pecado.

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.