segunda-feira, 16 de maio de 2011

Tem que ser o Provedor de Justiça a dizer o óbvio

  • «O excesso de velocidade ou outros incumprimentos das regras de trânsito pelos veículos oficiais, deve ser verdadeiramente excecional e quando detetado pela PSP ou GNR, deve dar origem, sempre, a autos de contra-ordenação» (LUSA, TVI24)
Aguarda-se a resposta de Rui Pereira à recomendação do Provedor de Justiça. Que o Provedor o diga, valoriza o cargo que o ocupa. Mas as excelências que continuam a fazer rális pelo país fora ficam agora com uma bota para descalçar.