segunda-feira, 2 de maio de 2011

Ó pra mim, sou tão especial, eu! Sou anticapitalista! E antiautoritário!

Defendo intransigentemente a liberdade de manifestação. Se um grupo de cidadãos decide fazer uma manifestação independente no 1º de Maio, é lá com eles. Mas para isso precisam de se demarcar explicitamente das outras (clicar para ver o poster grande)? Eles que façam as manifestações à vontade, mas têm de criticar outras manifestações de 1º de Maio? Ou o 1º de Maio não é de todos os trabalhadores? Sem querer de nenhuma forma defender a violência policial desproporcionada, dá vontade de dizer que ao menos este ano a polícia e os distúrbios ocorreram na manifestação “antiautoritária”, onde de resto costumam ocorrer, e não na Alameda ou no Martim Moniz. (Curiosamente, quando é para se queixarem da polícia, já não são “anticapitalistas” nem “antiautoritários”: são tão-somente “manifestantes”!)