terça-feira, 24 de maio de 2011

O Bloco e as sondagens

Se há dois ou três anos, alguém referisse uma situação em que
há um governo de centro-esquerda muito desgastado;
o desemprego chegou a níveis inimagináveis;
a Comissão Europeia - secundada pelo BCE e o FMI - vai forçar várias medidas de liberalização económica;
o mundo atravessa uma crise provocada pelos excessos da alta finança;
o PCP não tentou ocupar o espaço político do Bloco;
o PS é liderado pela sua ala direita;
a agitação política de rua está ao rubro;
a UE mostra mais que nunca falta de democracia e coesão interna - uma acusação constante do Bloco;

concordaríamos que estaria montado o cenário ideal para um grande resultado eleitoral do Bloco. Dificilmente alguém acreditaria que o Bloco não estivesse bem acima dos 10%. A realidade é bem diferente como indicam as intenções de voto no BE das últimas sondagens (já sem indecisos):
Eurosondagem 6,6%
CESOP 6%
Intercampus 5,6%
Aximage 5,7%

Tenho alguma dificuldade em explicar isto. Será voto útil no PS? Desencanto com os partidos do eleitorado habitual do Bloco?
Alguém?