terça-feira, 23 de novembro de 2010

Liberdade de ensino?

Ouvimos muitas vezes falar em «liberdade de ensino». No sentido de que as escolas privadas devem poder ensinar o que quiserem aos seus alunos.

No Reino Unido, escolas islâmicas estão a usar livros de texto que ensinam que «os Sionistas querem controlar o mundo», que «os judeus são macacos e porcos», que o castigo para a homossexualidade é a pena de morte e que os ladrões devem ser amputados. É tudo islamicamente correcto, claro. Ah, e pago pelo governo da Arábia Saudita (provavelmente o regime mais teocrático do planeta, e um dos mais ricos).

Deve o Estado intervir? Ou faz parte da liberdade de educação e da liberdade religiosa?

[Diário Ateísta/Esquerda Republicana]

2 comentários :

  1. O Estado tem que balizar os conteúdos. Não há uma fórmula ideal entre o ensino único e a liberdade de educação, mas o mínimo exigível aos privados, sejam cristãos ou muçulmanos, é o respeito pela "verdade" científica ou aquilo que é mais comumente aceite pela comunidade académica. Seja no afirmar de os judeus não são porcos, pelo contrário (muitos foram parar à fogueira apenas por tomarem banho - só se lava quem tinha a alma imunda... ironias), seja na negação do criacionismo bíblico enquanto teoria válida de ensino, como no caso de alguns estados norte-americanos.
    Catequese é uma coisa, a escola é outra. Jamais a primeira se poderá sobrepor à segunda num estado laico e democrático.

    ResponderEliminar
  2. os judeus são filhos de macacos e porcos
    é o que diz...muito diferente

    tal como para os talmudistas o bom
    árabe é o esticadito....

    propaganda e doutrinação é geral

    terrorista é todo o anti-americano

    ResponderEliminar

As mensagens puramente insultuosas, publicitárias, em calão ou que impeçam um debate construtivo poderão ser apagadas.